Internet

Malware ataca smartphones e redes sociais em 2011


O ano de 2011 é descrito pela McAfee como o da viragem quanto aos principais alvos maliciosos. O spam de email está a decrescer mas as ameaças contra as redes sociais e os smartphones estão a aumentar, não só em número mas em sofisticação.

O relatório sobre as ameaças para 2011 elaborado pela companhia de segurança tecnológica afirma que “as conexões das redes sociais irão eventualmente substituir o email como o principal vetor para a distribuição de códigos e links maliciosos”.

O ano passado assistiu-se a significativas mudanças de distribuição de malware. “O ano acabou com um dos mais baixos níveis de spam em anos, com cada vez mais usuários a fazerem a transição do “lento” email para métodos mais imediatos de comunicação, como as mensagens instantâneas ou o Twitter”. Este movimento, afiança a McAfee, “alterou completamente a paisagem das ameaças para 2011.

Ainda de acordo com o relatório que estamos a citar, são expectáveis cada vez mais abusos relativos a identidades e dados partilhados. A massiva colocação online de informação pessoal, aliada à falta de conhecimento dos usuários, “tornará muito mais fácil do que até aqui o roubo de identidades pelos cibercriminosos.

A McAfee alerta especialmente para duas ameaças. O abuso da utilização de short links utilizados nas redes sociais, mas que não permitem ao usuário saber para onde é que está a ser direcionado e que estão já a ser aproveitados por spammers para contornar os filtros tradicionais.

Ainda no que às redes sociais diz respeito outra ameaça que chama a atenção dos especialistas da McAfee é a da localização GPS, cada vez mais utilizada pelos usuários, graças a serviços como o Google Places, ou foursquare. Diz a companhia que os cibercrimisosos podem, “com apenas alguns clicks, saber em tempo real quem está a twitar e onde, o que estão a dizer, quais os seus interesses e que sistemas operativos e aplicativos estão a utilizar. É então uma brincadeira de crianças planear um ataque pontual com base no que aprenderam”.

Já quanto aos smartphones, a McAfee afirma que 2011 será o ponto de viragem quanto às ameaças a estes dispositivos, que se irão tornar no mais apetecido alvo dos criminosos. No ano passado apareceram “muitas novas, mas de pouca prevalência, ameaças aos dispositivos móveis”. Rootkits à plataforma Android, “jailbreaking” para os iPhone e o retorno de um dos mais conhecidos Trojans, o Zeus.

Agora, diz a McAfee, a adoção cada vez maior de dispositivos móveis em ambientes empresariais permite apontar para uma explosão de ataques que, devido “à fraca infraestrutura celular aos lentos passos em direção à encriptação, os dados empresariais e dos usuários correm sérios riscos”.

Independentemente da plataforma utilizada, a utilização de aplicativos vulneráveis ou maliciosos é outra das grandes preocupações da McAfee, que chama a atenção para o facto de os aplicativos terem historicamente códigos e práticas de segurança fracos, pelo que são um dos alvos mais apetecidos pelos cibercriminosos.


9 comentários em Malware ataca smartphones e redes sociais em 2011

  1. Marcio Ly

    Incrível e ver os numeros de novos malwares no mundo.
    2005 – 31.849
    2006 – 39.670
    2007 – 133.253
    2008 – 894.250
    2009 – 1.588.005
    2010 – mais de 2 milhões – O Brasil e o 8º país mais atingido por ameaças virtuais.

  2. Marcio Ly

    Quem espera por uma noticia desta!!! AVG detecta malware que age através de antivírus.

    AVG anunciou que foi detectado uma nova categoria de vírus que usa o Webshield da Kingsoft, uma das empresas de antivírus mais populares na China, para alcançar o seu objetivo, seja ele corromper arquivos do computador ou roubar dados pessoais.A ferramenta é utilizada justamente para proteger os usuários contra tentativas de phishing, uma técnica que redireciona o internauta para sites contaminados sem que ele perceba.
    A empresa ainda não anunciou uma solução de segurança contra o vírus. A China é o país que conta com o maior número de usuários no mundo, com aproximadamente 460 milhões de pessoas conectadas, bem mais do que o dobro da população do Brasil.

    • Wanderson

      Essa notícia já é um pouco antiga. Há tempos que crackers modificam anti-vírus e através de atualizações capturam informações e infectam o computador da vítima.

  3. Marcello

    Os hackers estão se deslocando para onde a midia mais se desenvolve, infelizmente a realidade é essa e só nos resta procuramos nos proteger da melhor maneira possivel, se informando das tecnologias e softwares mais confiáveis.

  4. Wanderson

    Não é nenhuma novidade, todos nós sabemos que junto com qualquer avanço, cresce seu mal também, o smartphones vão se tornar tão vulneráveis quanto os computadores em pouco tempo!

  5. Rodrigo

    COM A DISSEMINAÇAO DAS REDES SOCIAS AS PESSOA MIGRARAM PARA ESTES POSTS INSTANTANEOS, E-MAIL SO SE USAM GRANDES CORPORAÇOES E PEQUENAS EMPRESAS, A CLASSE TEEM SÓ POSTA MENSAGENS INSTATANEAS,POIS ASSIM O USUARIO TEM ACESSO MAIS RAPIDO A INFORMAÇAO LOCAL. E É AI QUE OUTROS NAO ACEITA A REALIDADE A FAZ ATAQUE DESSE TIPO.

  6. Marcio Ly

    As proteções contra os malware realmente tem que ser melhoradas, mas também os cuidados pessoas com as informações que disponibilizamos na rede devem ser disponibilizadas a empresas de confiança. Como o Alfredo colocou neste post cibercrimisosos podem, “com apenas alguns clicks, saber em tempo real quem está a twitar e onde, se não tivermos cuidado corremos alguns risco que podem ser evitados.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *