Mobile, Notícias, Sistemas Operativos, Software, Tecnologia

Canonical anunciou o Mir e o Unity Next para o Ubuntu.


A Canonical, a criadora da popular distribuição de Linux Ubuntu, tem estado nos últimos meses nas luzes da ribalta devido ao anúncio do Ubuntu Phone e Tablet, uma plataforma baseada em Android e adequada para Smartphones e Tablets. Contudo a versão do Ubuntu para PC, mantinha-se tecnologicamente como uma plataforma separada das mais recentes adições da família Ubuntu. A Canonical pretende unificar as duas plataformas numa só através do Mir e da introdução do Unity Next.

A Canonical lançou um documento onde pretende especificar o Mir – a próxima geração de Display Server – no Wiki do Ubuntu. Um Display Server é uma camada de software encarregada, nos sistemas baseados em Unix, de gerir os dispositivos gráficos como por exemplo: a sua placa gráfica e monitor do seu PC. Em última análise pode considerá-la a componente responsável por lançar a sessão gráfica onde executam os ambientes de Desktop como o KDE ou Gnome.

Segundo a página de especificação o Mir é apresentado da seguinte forma:

Estamos a desenvolver um Display Server de próxima geração conhecido como Mir. Trata-se de um componente ao nível de sistema apontado como um substituto para o Display Server “X” para potenciar a próxima geração de experiências com o usuário para dispositivos que vão desde o desktop Linux até dispositivos móveis com o Ubuntu. Este documento descreve a motivação para o projecto, descreve o projecto a um alto nível, resume o âmbito, e fornece o planeamento para o desenvolvimento do Display Server Mir.

Deixamos de seguida as principais características do novo Display Server:

  • Mir é um novo Display Server desenvolvido na Canonical e não é baseado no X.Org ou Wayland.
  • Os controladores gráficos do Android serão suportados. Os controladores gráficos open-source para Linux (DRM / KMS / Mesa / GBM) também serão suportados. A Canonical está a incentivar os fornecedores de controladores gráficos proprietários para tornarem os seus drivers compatíveis.
  • Existirá suporte para aplicações X11 legadas através da integração de um display server X.Org autónomo.
  • Canonical vai suportar nativamente o GTK3 e Qt / QML com o Mir.
  • O Mir será utilizado em todos os dispositivos desde os Ubuntu Phones até ao Ubuntu desktop.
  • O Mir deve estar pronto para ser utilizado no Ubuntu Phone OS no mês de Outubro deste ano, e deverá chegar a outros formatos (e ambientes de trabalho) num intervalo de um ano.

A Canonical referiu que o desenvolvimento do seu próprio Display Server se deve a algumas limitações derivadas da elevada complexidade do componente “X” usado até agora no Ubuntu. A criadora do Ubuntu optou por não escolher como alternativa o Wayland, um Display Server que está a ser activamente desenvolvida por elementos da Red Hat, devido a não satisfazer também os requisitos da empresa.

A Canonical aproveitou também para anunciar uma especificação para o Unity Next com os mesmos moldes da Mir, mas adequada a reformular a interface gráfica Unity que é usada na versão desktop do Ubuntu. A grande novidade neste aspecto é que até agora o Unity para desktop era desenvolvido numa tecnologia baseada em OpenGL denominada NUX Shell. Contudo como a empresa irá adoptar a tecnologia QT/QML nas suas plataformas móveis (Ubuntu Phone e Tablet) a empresa decidiu que irá reescrever o Unity na mesma tecnologia.

img_ubuntu_mir_02

Mas, qual a razão para a mudança de tecnologia no Ubuntu para PC’s?

Tudo se resume a algumas interessantes propriedades entre as quais: integração e expansibilidade. A canonical está a seguir o mesmo percurso que Apple seguiu com o OSX. Afinal se pensarmos no exemplo da empresa de Cupertino, a plataforma por detrás do OSX e que equipa a sua linha de MacBook’s é a mesma que está por detrás do iOS que é usado no iPhone e no iPad.

A Canonical embora de forma semelhante pretende começar ao contrário da Apple, isto é desenvolver as tecnologias na sua actual plataforma móvel e posteriormente trazé-las para o desktop. Primeiro espera acabar de desenvolver o Mir para as suas plataformas móveis. Da mesma forma o Ubuntu Phone e Tablet já foram pensados de raíz para serem desenvolvido na plataforma QT/QML significa que o projecto Unity Next também já começou.

Posteriormente a Canonical irá substituir no Ubuntu para desktop, o Display Server X pelo Mir e a implementação actual do Unity pelo Unity Next totalmente reprogramado na tecnologia QT/QML. Isto significa que a Canonical pretende proporcionar uma infraestrutura de gráfica que funcione em diferentes plataformas e modelos de controladores, limitando o desenvolvimento e manutenção a uma plataforma.

No final a visão de Mark Shuttleworth de uma plataforma escalável para muitos dispositivos irá se tornar realidade. Uma única plataforma que escala bem quer no seu PC, Televisão, Tablet ou Smartphone. Mas será que a Canonical estará à altura desta tarefa bastante trabalhosa de integração? Via Phoronix


2 comentários em Canonical anunciou o Mir e o Unity Next para o Ubuntu.

  1. Daniel

    “uma plataforma baseada em Android” – Nada mais errado! Baseado em Linux é o correcto, assim como o Android é baseado em Linux…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *