Ciência, Futuro hoje

Conheça a bicicleta voadora (vídeo)


Cientistas checos apresentaram ao mundo uma bicicleta voadora. O veículo pode vir a constituir uma revolução na forma como nos deslocamos, mas para já ainda não passa de um protótipo.


Jornalistas assistiram ao voo inaugural da bicicleta voadora e poderam comprovar que a mesma funciona. Mas o aparelho ainda é apenas um protótipo, muito por causa do peso das baterias e das hélices que a propulsionam. O projeto foi desenvolvido por cientistas da República Checa e pode ser que daqui por uns anos seja inevitável que quando alguém disser cuidado com a bicicleta não sabermos se havemos de olhar para o lado ou baixarmo-nos.

Por enquanto, o peso de todo o equipamento – 95 quilos – impede uma autonomia que torne a F-Bike interessante economicamente. Mas Milan Duchek, o diretor técnico da Duratec Bycicles está esperançoso num futuro de sucesso para o projeto: “Como a capacidade das baterias duplica a cada dez anos, podemos esperar que no futuro a sua capacidade seja suficiente para vermos a bicicleta voadora a ser usada para desporto, turismo e atividades similares”.

O voo inaugural foi realizado numa feira científica em Praga mas  honra de ser o primeiro piloto de testes do novo veículo coube a um manequim, uma vez que a F-Bike ainda não suporta o peso de um homem adulto. Assim, o voo foi controlado remotamente mas deu para perceber todas as potencialidades do projeto.

Numa altura em que estamos à espera de conhecer a visão da Tesla para o transporte super-rápido, eis que chega uma alternativa bem mais calma. A bicicleta voadora poderá vir a ser comum nas nossas cidades?

O protótipo foi inspirado nas ideias de Júlio Verne e do escritor checo Jaroslav Flogar, que criaram nos seus romances máquinas voadoras. É ainda um protótipo e nenhum homem voo verdadeiramente na bicicleta voadora, mas os cientistas checos que a inventaram têm confiança de que possa conquistar as graças dos amantes do ciclismo… ou dos amantes dos céus.

Veja o voo inaugural da bicicleta voadora:

<param

Fonte: Huffington Post, via DN


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *