Segurança

Google e Microsoft combatem imagens de abuso infantil


Os dois gigantes, Google e Microsoft, chegaram a um acordo sobre as medidas que devem tornar mais difícil a procura de imagens de abuso infantil na internet.

Como Schmidt escreveu , não há ” nenhuma solução técnica rápida” que permite que os motores de busca detetem imagens de abuso sexual infantil, uma vez que os computadores não conseguem diferenciar de forma confiável fotos inocentes de crianças na hora do banho e abuso genuíno. Isso significa que o Google tem de confiar em seres humanos para rever as imagens. Aqueles que forem detectados a colocar conteúdo ilegal é-lhes dado uma impressão digital única. Dadas essas impressões digitais únicas , o Google pode identificar automaticamente as imagens ilegais.

01_01

Para resolver essa fonte de imagens de abuso infantil, o Google está testando agora uma nova tecnologia para identificar tais vídeos e esperamos disponibilizá-lo para outras empresas de Internet e organizações de segurança para crianças no novo ano.

Em Downing Street David Cameron (Primeiro ministro britânico) agendou um comunicado onde ira referir que as forças policiais britânicas e dos EUA vão unir forças e combater os crimes online de abuso de menores. Esta união transatlântica tem como objetivo identificar maneiras de atacar os criminosos e pedófilos que usam redes criptografadas secretas para distribuir imagens de abuso.

Google e Microsoft também anunciaram que “até agora 100 mil termos de pesquisa não retornaram nenhum resultado com material ilegal”. Tais pesquisas também iram acionar avisos de que imagens de abuso infantil são ilegais.

Ambas as empresas, Google Search e Bing da Microsoft , têm introduzido novos algoritmos que evitam este tipo de resultado ilegal. De acordo com o The Guardian, Schmidt do Google anunciou que uma equipe de 200 trabalhadores limparam termos de pesquisa que podem levar a imagens de abuso sexual. As restrições inicialmente serão lançadas no Reino Unido e posteriormente a outros países de língua Inglês e em 158 outras línguas ao longo dos próximos 6 meses.

O Google também está exibindo avisos no topo dos resultados de busca para 13 mil consultas.

É aqui, na web escura, que os avanços tecnológicos e decisões judiciais como esta da semana passada são a melhor chance de lutar contra o abuso de crianças.


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *