Menina Digital

Quero morar nos teus olhos, amor!


Vem.
E traz o vinho, meu bem.
Maduro tinto, não te esqueças.
Ah! Por favor, não te demores.
Já há muito que anseio o fim da tua ausência.
Aviso-te: quero que fiques [em mim].
Quero embriagar-me [de ti].
Vem.
E traz contigo o amor, meu bem.
Espero-te acordada, prometo.
Vamos morar nos olhos um do outro.
E se ousares vir, menino, garanto-te que ficas para nunca mais partir!
[…]
Não podes dizer que não te chamei, menino.
Chamei sim!
E esperei um tanto.
E como não vinhas nunca mais…
Fui ali sonhar uns sonhos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *