Portuguees demoram cerca de 42 minutos na deslocação de e para o trabalho Notícias

Portugueses gastam cerca de 42 minutos por dia para ir trabalhar



Um estudo, encomendado pela Samsung Mobile Europe, revela que os europeus demoram em média pouco menos de 45 minutos por dia na viagem de e para o trabalho, o que significa que gastam anualmente o equivalente a mais de sete dias completos nesse trajeto. No caso dos Portugueses este número é um pouco inferior andando na ordem dos 42 minutos num trajeto sem precalços.

À medida que os dias ficam mais curtos e o clima de inverno começa a fazer-se sentir, dos mais de 40% de passageiros pendulares portugueses que usa regularmente os transportes públicos para as suas deslocações diárias, cerca de 54% procura formas inovadoras para transformar este tempo “improdutivo” em algo que se deseje, que lhes ofereça bastante ação e entretenimento e que permita quebrar o ciclo de tédio e os ajude a sentirem-se motivados para a viagem, ou seja, transformar estas deslocações em períodos produtivos.

Esta investigação encomendada pela Samsung Mobile Europe revela que o tempo médio para este tipo de trajeto pendular varia consideravelmente em toda a Europa, com os belgas a registarem o trajeto diário mais demorado (52 minutos e 48 segundos) e os trabalhadores no Reino Unido a apresentarem o trajeto diário mais rápido (36 minutos e 53 segundos).

TEMPOS DE DESLOCAÇÃO MÉDIOS EM CADA PAÍS EUROPEU
Bélgica                                52,80 minutosSuíça                     42,36 minutos
Itália                                    51,89 minutosPolónia                                               41,86 minutos
Espanha                              51,63 minutosPortugal                              41,80 minutos
Grécia                                 49,40 minutosRoménia                             41,36 minutos
Áustria                                47,51 minutosAlemanha                          39,62 minutos
Holanda                              42,50 minutosReino Unido                     36,88 minutos

Portugueses gastam cerca de 42 minutos por dia para ir trabalhar

 

Embora a maior parte dos passageiros inquiridos conduza regularmente (61% a nível Europeu e 67% no caso de Portugal), os transportes públicos são uma necessidade para muitos Portugueses sendo que 13% se deslocam de comboio, 9% de metro e 18% de autocarro. Ao nível Europeu estes números são mais elevados e cada vez mais passageiros pendulares recorrem ao transporte público. Os belgas e os italianos revelaram ser os mais propensos a viajar de comboio de e para o trabalho (23%), ao passo que os polacos preferem usar o autocarro (37%).

Para se entreterem durante as suas viagens pendulares entre casa e o trabalho, os europeus recorrem em grande parte à música sendo os Portugueses quem mais ocupa o tempo desta forma (79%). No entanto, uma razoável proporção de trabalhadores desperdiça este tempo precioso, dedicando-se simplesmente à observação de pessoas (23%) ou não fazendo efetivamente nada (10%) durante o período de viagem.

Tiago Flores, Diretor de Marketing de Produto da Samsung Portugal: “Com mais de 150 milhões de europeus a deslocarem-se diariamente entre casa e o trabalho, o número acumulado de ‘dias perdidos’ rapidamente atinge anos de tempo perdido – se tivéssemos de contabilizar todo esse tempo de deslocação desperdiçado na Europa, seria necessário recuarmos 13 mil anos.”

Os trabalhadores pendulares modernos têm demorado algum tempo a adotarem a tecnologia como forma de se manterem entretidos durante as suas viagens, tendo apenas uma mão cheia de pessoas recorrido aos seus tablets (2%) ou computadores portáteis (3%) durante o período de 45 minutos que os separa entre o trabalho e casa.

“Portugal mostra efetivamente ser um país tecnologicamente avançado e aqui vemos uma grande diferença quando 18% dos inquiridos utiliza o seu tablet nas suas deslocações. Hoje, e mais do que nunca, os trabalhadores pendulares podem maximizar os sete dias que gastam por ano na deslocação de e para o trabalho, graças às tecnologias cada vez mais avançadas e que oferecem conteúdos cada vez mais interessantes”, acrescenta Tiago Flores.

A tecnologia pode ser o complemento ideal para qualquer deslocação entre casa e o trabalho durante o frio do inverno, oferecendo aos portugueses o motivo para escaparem para um mundo diferente sempre que viajam de e para o trabalho. Por outro lado, permite-lhes ignorarem os maiores desconfortos nas suas jornadas entre os quais se incluem os atrasos (25%), o som elevado da música ouvida pelos outros passageiros (20%) ou mesmo as pessoas que gostam de falar num tom mais elevado nos transportes públicos (16%).


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *