Review Huawei P8 Análise

Análise ao smartphone Huawei P8


A Huawei tem vindo a ganhar reconhecimento nos grandes mercados internacionais com o lançamento de smartphones e tablets com uma excelente relação preço/qualidade, que se conseguem facilmente juntar aos melhores terminais do momento.

O Huawei P8 é o mais recente topo de gama da companhia, cuja apresentação decorreu recentemente num evento realizado em Londres, em que o TecheNet esteve presente.

O novo smartphone da Huawei apresenta grandes melhorias relativamente aos seus predecessores – Ascend P6 e Ascend P7, tanto em design como em capacidade de processamento. No entanto, o seu software e interface ficaram um pouco aquém das das nossas expectativas.

 

Design e qualidade de construção

Huawei P8 (01)

Depois de ter lançado o Ascend P7 com uma construção à base de vidro, a Huawei apostou numa abordagem diferente no design do P8, optando por uma construção à base de metal. Tanto a parte traseira como as laterais do P8 são feitas de alumínio, enquanto que a zona frontal está coberta por Gorilla Glass 4, com uma base em plástico. O desenho do P8 é moderno e elegante, um peso de apenas 144 gramas, graças ao chassis de alumínio, combinado com uma espessura de apenas 6.4 milímetros faz com que tenha uma utilização muito confortável.

O design do P8 segue  a mesma filosofia do anterior Ascend P7, apresentando-se de forma mais “quadrada”, também à semelhança da linha de dispositivos da Sony – Xperia Z.

Na parte de trás do dispositivo encontramos uma câmara de 13 megapixels com duplo flash LED, juntamente com uma faixa de plástico que ajuda no melhoramento de sinal recebido pelo P8. Um dos grandes destaques de design deste terminal é o facto de a sua câmara traseira não apresentar qualquer relevo relativamente ao resto do seu chassis, ficando completamente integrada no corpo do dispositivo, evitando assim os já conhecidos problemas das câmaras de outros topos de gama como por exemplo o HTC One M9 e o Samsung Galaxy S6.

Huawei P8 - Botões e entradas

Os botões de volume, botão de standby, entrada para cartão nano-SIM e entrada para cartão microSD encontram-se todos no lado direito do dispositivo, deixando assim o seu lado esquerdo totalmente livre de qualquer protuberância.

Na base do P8 está colocada a entrada microUSB e as grelhas com duas colunas, enquanto que o topo do terminal apenas tem presente a entrada para headphones.

O Huawei P8 apresenta, sem qualquer dúvida, um design extremamente elegante e com um nível de “luxúria” q.b. que será suficiente para chamar à atenção da maioria dos aficionados de smartphones.

 

Ecrã

Huawei P8 (06)

Com um ecrã IPS-LCD de 5.2 polegadas e uma resolução de 1920 x 1080, o P8 apresenta uma densidade de píxels por polegada (424 PPI) ligeiramente inferior à do ecrã de menores dimensões do Ascend P7 (445 PPI), mas com um rácio ecrã-corpo de 78.3%.

Apesar de actualmente quase todas os grandes fabricantes optarem por colocar nos seus topos de gama ecrãs com resolução QHD, o ecrã Full HD do P8 apresenta resultados muito satisfatórios. O dispositivo apresenta imagens  de excelente nitidez e cores vibrantes, mesmo quando vistas de diferentes ângulos.

 

Funcionalidades Especiais

Uma das caraterísticas especiais deste P8 é a capacidade de calcular e informar a velocidade das redes que o rodeiam (Wi-Fi e internet móvel), permitindo que o utilizador usufrua da melhor ligação possível ao mudar de uma rede para a outra.

O Huawei P8 tem duas antenas móveis que funcionam de forma independente, encontrando-se uma no topo e outra na base do terminal. Estas duas antenas possibilitam ao P8 procurar e alterar a fonte da sua ligação de forma extremamente rápida, possibilitando assim que o utilizador tenha sempre acesso ao melhor sinal possível.

 

Software

p8soft

Quanto ao seu software, em cima do Android 5.0 Lollipop, a Huawei colocou no P8 a mais recente versão da sua própria interface, a Emotion UI 3.1 (EMUI) que se apresenta bastante semelhante à versão 3.0 presente no Ascend Mate 7. Tem um design limpo, é de fácil utilização e apresenta vários detalhes retirados do Google Material Design, tal como os botões de navegação, cores vivas, entre outros.

No entanto, a EMUI não vem tirar partido de várias funcionalidades que as novas versões do Lollipop trouxeram. O botão de “aplicações recentes” não apresenta as aplicações de forma tão organizada e de fácil acesso, como se pode ver no Lollipop. Além disso, também não é possível aceder às “definições rápidas” através do “duplo acesso” da barra de notificações.

Uma das diferenças mais óbvias desta interface para a original do Android é, sem dúvida, a ausência de uma “gaveta de aplicações” uma vez que a Huawei preferiu seguir com um estilo mais semelhante à MIUI da Xiaomi ou iOS da Apple. No entanto, este não deverá ser um motivo para descartar o P8 da sua lista de possiveis dispositivos, uma vez que poderá sempre utilizar outro qualquer launcher Android presente na Google Play, como por exemplo o Apex Launcher ou o Nova Launcher.

A Huawei manteve a preocupação de não encher o P8 com uma montanha de bloatware, deixando apenas algumas aplicações que são na verdade bastante interessantes. Por exemplo, a aplicação “Speech Awareness” surge como resposta ao Google Now, permitindo ao utilizador realizar várias funções através de comandos de voz. Com esta funcionalidade poderá ainda encontrar o seu P8, configurando uma frase (por exemplo: “Buddy, where are you?”) e ao dizer essa frase o terminal começará a tocar uma música e a dizer “I’m here”.

Huawei P8 - EMUI

Outra novidade trazida pela Huawei foi o “Knuckle Sensor”, que permite ao utilizador realizar algumas tarefas utilizando apenas os “nós dos dedos”. Poderá capturar screenshots com um duplo toque do seu nó do dedo no ecrã e também recortar imagens do seu ecrã através do deslize do mesmo na área desejada, para depois partilhar ou editar. No entanto, depois de alguns dias de utilização esta funcionalidade revelou-se verdadeiramente frustrante, pois quando o terminal se encontra a reproduzir vídeos, jogos ou aplicações em ecrã completo parece reconhecer qualquer toque como se fosse o “nó do dedo”, tornando impossível realizar algumas acções. Esperemos que a Huawei seja capaz de corrigir este problema nas próximas actualizações de software, uma vez que não existe nenhuma opção para desactivar esta funcionalidade.

 

Performance

huawei-p8-antutu-benchmark

Com um processador octa-core 64-bit HiSilicon Kirin 930 com núcleos Cortex-Ad53E (2GHz), o Huawei P8 coloca-se bem no centro das atenções juntamente com outros smartphones topo de gama do mercado. Testes de benchmark realizados com a aplicação AnTuTu colocaram a performance do P8 com valores acima de muitos outros gigantes do mercado, como por exemplo o Samsung Galaxy Note 4.

Certamente que o P8 veio confirmar que os processadores HiSilicon da Huawei podem claramente competir de igual para igualk com os famosos Snapdragon e Exynos.

Durante a utilização diária, este terminal não apresentou qualquer falha significativa de performance, correndo todas as aplicações e jogos de forma suave e sem interrupções. Mesmo em jogos que levam o desempenho gráfico para níveis bastante elevados, como por exemplo Modern Combat 5 e Real Racing 3, o P8 não apresentou qualquer dificuldade de processamento.

 

Áudio

Huawei P8 (08)

Ao apresentar um smartphone com design e especificações tão interessantes seria de esperar que a Huawei utilizasse colunas estereo no P8, mas não foi esse o caso. Apesar das colunas não serem estéreo, o qualidade de som produzida é bastante boa e consegue atingir níveis de volume bastante elevados. No entanto, a falta do estéreo faz com que este não seja o smartphone mais indicado para ser usado como dispositivo para ouvir música.

A Huawei fez, apesar de tudo, um excelente trabalho quanto à qualidade das chamadas de voz, tornando possível realizar chamadas de voz impecáveis mesmo nas condições ambientais mais adversas. Por exemplo, ao testar a qualidade de som da chamada numa situação com bastante vento a pessoa que a estava a receber pensou mesmo que eu me encontrava dentro de casa, provando assim que a nova tecnologia aplicada ao P8 resulta de forma fantástica.

 

Câmara

Huawei P8 (07)

O sensor de 13 megapixels presente na câmara do Huawei P8 apresenta uma excelente combinação de software e hardware, que certamente irá surpreender a vasta maioria dos utilizadores. A câmara tem uma performance bastante boa em ambientes de pouca luminosidade devido à sua abertura f/2.0 e também graças ao modo “Super Night Mode”, que utiliza software de processamento para melhorar fotografias capturadas em ambientes com luz reduzida.

A câmara do P8 vem ainda equipada com OIS (estabilização óptica de imagem), que permite evitar todas as fotografias tremidas e capturar vídeos com uma estabilidade muito maior. O utilizador também poderá tirar proveito da funcionalidade “Ultra Snapshot” que, tal como no Ascend Mate 7, permite capturar uma fotografia rapidamente pressionando duas vezes o botão do volume,  mesmo que o telefone se encontre bloqueado. Depois de vários testes, este processo demorou sempre entre 1 e 1,3 segundos para capturar a fotografia.

Existem ainda vários novos modos de captura de fotografias que é possível explorar, como time-lapse, full panoramic e o modo “light painting” que permite capturar rastos de luz, entre muitas outras opções.

A câmara frontal tem 8 megapixels e será a delicia dos amantes das selfies, trazendo incorporado o modo “Face Beauty”, que reconhece a cara do dono do P8 e automaticamente corrige e melhora as suas fotos de acordo com as definições escolhidas. Esta câmara frontal tem também uma lente wide-angle.

Veja algumas fotografias captadas com o Huawei P8 (a dimensão das imagens foi reduzida propositadamente, para evitar uma diminuição da velocidade de carregamento da página):

 

Bateria

A alimentar o Huawei P8 temos uma bateria de 2600mAh, apresentando-se assim no mesmo patamar da grande maioria dos recentes topos de gama, que tentam manter as suas baterias a baixo da linha dos 3000mAh.

Durante a sua apresentação, a Huawei prometeu que a bateria do P8 iria, com uso moderado, durar até um dia e meio com uma única carga e com uso intensivo iria durar um dia.

Depois de uma utilização diária os resultados são sem dúvida bastante surpreendentes. Apesar de ter um processador octa-core e um ecrã de grandes dimensões, a bateria de apenas 2600mAh oferece uma performance incrível. Após 12 horas de uma utilização um pouco superior ao normal (capturar fotos, navegar na internet, redes sociais, gerir e-mails e jogar alguns jogos) o smartphone consumiu apenas aproximadamente 40% da sua bateria.

 

Preço e disponibilidade

O Huawei P8 será lançado numa fase inicial em 30 países durante o final do mês de Abril e início de Maio, seguindo-se o lançamento final em mais de 100 países. Na lista de países inicial encontram-se, China, Colômbia, França, Alemanha, México, Espanha, Portugal, Reino Unido, África do Sul, Turquia, entre outros.

O preço recomendado para o P8 é de 499 euros para  versão standard e de 599 euros para a versão premium.

 

Ideias finais

A Huawei conseguiu fazer quase tudo para tornar este P8 no smartphone “perfeito”, com um potente processador, ecrã de grande qualidade, câmara com funcionalidades únicas e excelente performance, funcionalidades extras bastante úteis e um preço acessível.

O Huawei P8 é a grande aposta da companhia para garantir um lugar de destaque no mercado competitivo dos smartphones topo de gama. Para tal conta com interessantes funcionalidades de rede móvel, um design moderno e elegante, uma boa capacidade de processamento, câmaras fotográficas extremamente capazes e uma boa relação preço/qualidade, sem dúvida um dos smartphones a ter em conta na altura de adquirir um novo dispositivo.

Um dos pontos que menos destaque ganhou durante a utilização do P8 foi a sua interface EMUI 3.0, que acaba por fugir bastante à experiência limpa de um smartphone Android, trazendo muitos detalhes baseados no iOS e MIUI. Apesar de ser facilmente corrigido com a utilização de um launcher externo, este factor poderá vir a deixar muitos utilizadores Android desapontados.

Galeria de Fotos

Notas

Design e Qualidade de construção
Ecrã
Software
Performance
Câmara
Bateria
Pensamentos finais

A Huawei conseguiu fazer quase tudo para tornar este P8 no smartphone “perfeito”, com um potente processador, ecrã de grande qualidade, câmara com funcionalidades únicas e excelente performance, funcionalidades extras bastante úteis e um preço acessível.

Classificação 4

2 comentários em Análise ao smartphone Huawei P8

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *