Redes sociais

Facebook quer investir mais em África



O Facebook abriu o seu primeiro escritório em África com o intuito de expandir o investimento e a presença na região EMEA (Europa, Médio Oriente e África).

“O Facebook é já uma ferramenta importante na forma como pessoas e empresas comunicam em África. O objetivo desta abertura é apoiar o crescimento significativo de pessoas e empresas que utilizam esta rede social — A população de utilizadores ativos do Facebook em África cresceu 20%, alcançando os 120 milhões em junho de 2015, relativamente aos 100 milhões de setembro de 2014. Mais de 80% destes acedem à rede social via telemóvel”, reforça o comunicado de imprensa enviado à Techenet.

Com sede em Melrose Arch, Joanesburgo, o escritório será dirigido pela nova diretora da empresa em África, Nunu Ntshingila, uma veterana da Ogilvy.
“África é importante para o Facebook e, por isso, este escritório é uma parte crucial da nossa estratégia para expandirmos o investimento e presença na região EMEA (Europa, Médio Oriente e África). O Facebook já é uma parte fundamental da vida em África e, num continente com mais de mil milhões de habitantes, queremos fazer mais para ajudar pessoas e empresas a comunicarem”, explica Nicola Mendelsohn, vice-presidente do Facebook EMEA.

O Facebook centrar-se-á inicialmente nos seus negócios em países de referência nas principais regiões da África Subsariana: Quénia (África Oriental), Nigéria (África Ocidental) e África do Sul (Sul de África). Outros países que a empresa prestará apoio incluem o Senegal, Costa do Marfim, Gana, Tanzânia, Ruanda, Uganda, Zâmbia, Moçambique e Etiópia.

A empresa também apostará nas parcerias com governos, operadores de telecomunicações, agências e outras partes interessadas para fornecer soluções localizadas a anunciantes e utilizadores em todo o continente. A empresa continuará a dedicar-se a apresentar soluções, métricas e formatos de anúncios à medida das necessidades dos clientes e anunciantes no ambiente de utilização prioritária ou exclusivamente móvel em África.


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *