Robots ameaçam jornalistas Futuro hoje

Robots ameaçam jornalistas: Futuro da profissão pode ser automatizado


Os jornalistas são dos profissionais que estão mais ameaçados pelos robots. Não se trata do guião de nenhuma série de ficção científica mas da conclusão de estudos que apontam que entre 25 a 30 por cento das actuais profissões poderão vir a ser executados por robots. O jornalismo é uma das que mais está em risco, mas há outras.

Mais de um quarto dos empregos poderão deixar de existir até 2025 e os trabalhadores serem substituídos por robots. Quem o diz são cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido, e a consultora Boston Consulting Group. Entre as profissões mais ameaçadas estão também os barman, os taxistas e mesmo os médicos.

Olhamos com entusiasmo para o avanço das tecnologias, ficamos impressionados com os carros sem condutor e com os simpáticos robots que aqui e ali já vão servindo bebidas. Mas poucas vezes paramos para pensarmos sobre o outro lado do desenvolvimento tecnológico e que se prende com a substituição dos humanos por máquinas. Até agora, é fundamentalmente na indústria pesada e nas linhas de montagem que isso acontece, mas num futuro não muito longínquo serão outras as profissões a serem ameaçadas.

E o futuro é já hoje. No final deste ano, módulos de táxi automatizados vão começar a operar nas ruas da cidade de Milton Keynes, na Inglaterra, oferecendo corridas pela cidade. O governo britânico está atualizando as placas de trânsito para viabilizar o funcionamento dos carros sem motorista.

Mas também a profissão de médico corre o risco de rapidamente ser diferente, uma vez que são cada vez mais e mais sofisticados os softwares e máquinas que colaboram com os profissionais. Nunca deixará de existir esta profissão, mas poderão não passar muitos anos até que os cirurgiões deixem de meter a mão no corpo humano e deixem esse trabalho para os robots.

Já quanto aos jornalistas, os investigadores consideram que 90 por cento das notícias serão automáticas dentro de 15 anos, mas que também estes profissionais continuarão a ter um papel a desempenhar.

Jane Wakefield, repórter da BBC, entrevistou Martin Ford ─ autor do livro Rise of the Robots (“Ascensão dos Robôs”, em tradução livre), que lhe afirmou que o mundo enfrentará o desemprego em massa e o colapso financeiro, a menos que sejam tomadas medidas radicais. Este autor afirmou também esperar que haja profissões que mantenham a sua humanidade, como professores, médicos ou juízes.

E já agora, os barman, dizemos nós. Quantas vezes não precisámos de nos sentar ao balcão e meter conversa com o profissional só para nos sentirmos acompanhados.


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *