Ciência

Radiotelescópios já apontam para estrela que pode ter “enxame de mega-estruturas”


Os cientistas já estão a olhar com mais atenção para a estrela KIC 8462852, a que pode ter um “enxame de mega-estruturas” na sua órbita. Os radiotelescópios do Allen Telescope Array (ATA) já estão apontados na direcção da estrela misteriora à procura de frequências de rádio que possam ter origem tecnológica.

Os investigadores do SETI – Search for Extraterrestrial Inteligence (Busca de Inteligência Extraterrestre), estão já a utilizar o radiotelescópio situado na Califórnia à procura de indícios de vida inteligente nas imediações da estrela. Mas são os próprios a colocar água na fervura, ao dizer que podem haver muitas outras explicações para o fenómeno que tem deixado os cientistas intrigados e que traz o mundo excitado.

O anúncio, a semana passada de que a sonda Kepler tinha detectado uma estrela com “algo que nunca tínhamos visto” entusiasmou o mundo e a comunidade científica. Os astrónomos consideram que a profusão de pontos sem luz detectados pela sonda em torno da estrela é um fenómeno até agora único e ainda não conseguiram encontrar uma explicação para a observação, colocando a hipótese de estarmos perante um “enxame de mega-estruturas”.

Os investigadores co SETI são, no entanto cautelosos: “Julgo que as pessoas deviam moderar o seu entusiasmo, é isso que a História nos diz”. Seth Shostak, astrónomo sénior do projecto, lembra o que aconteceu com os pulsar, as estrelas de neutrões pequenas e densas que emitem um fluxo de energia electromagnético que é captado pela Terra a intervalos regulares. Quando foram descobertos, nos anos 60, alguns cientistas pensaram que estaríamos na presença de transmissões extraterrestres.

“A História sugere que vamos encontrar uma explicação para isto que não envolver Klingons”, afirma Shostak ao site Space.com

É verdade que o fenómeno agora descoberto pode ter várias explicações, mas está a intrigar grandemente os cientistas e por isso as parabólicas do ATA já estão apontadas para a estrela misteriosa.

Fonte: Space.com


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *