Liniker - o jovem fenómeno soul brasileiro Arte e Cultura

Liniker – o jovem fenómeno soul brasileiro


Chama-se Liniker, tem uma voz poderosa e o seu EP de estreia – “Cru” – está a conquistar um lugar de destaque no cenário musical soul brasileiro, transpondo o circuito da produção independente: uma semana após o seu lançamento, já tinha alcançado o milhão de visualizações e continua a somar.

Neste momento, o jovem Liniker, de apenas vinte anos, já tem agendada uma tournée pelo Brasil, com a sua banda “Os Caramelos”, tem na mira uma tournée internacional e vai certamente marcar posição na indústria tradicional.

O jovem dono dessa voz poderosa e dessa energia contagiante, natural de Araraquara, em S. Paulo, Brasil, vem de uma família de músicos de samba, a sua mãe é a sua musa, professora de dança (samba rock).

Liniker atreveu-se a cantar em público por volta dos 15 anos, pois sentia-se intimidado pelos profissionais da família. Mas ainda bem que o fez, pois a partir daí iniciou um percurso de formação em teatro e voz, resultando na qualidade que agora podemos ouvir.

Em entrevista ao El Pais Brasil, Liniker afirma: “(…) eu cresci com essas influências de música preta. Se eu não fosse músico, com essa família, não sei o que era para ser.”

Na mesma entrevista, conseguimos ver que Liniker é ainda mais do que músico e cantor, o músico marca uma posição e consegue marcá-la através da beleza da voz, da postura, da forma como dança, do seu corpo como um todo politico e poderoso.

Afirma-o através do seu trabalho e declarando: “Neste momento de tanta opressão, me colocar assim, com essa força, é muito importante. As pessoas precisam saber que eu sou negro, pobre e gay e posso ter uma potência também. Sou um artista que se expressa assim. Então, se você está aí, se sente reprimido e tem vontade de colocar seus demónios para fora, mostrar quem você realmente é, coloque-se. Esse é um dos meus maiores desejos como artista desta geração.”

Quando fala de “Crú”, revela que foi desejo seu transmitir a sua força, o seu pulsar que não consegue conter.

Experimentem escutar os três temas que o integram – Louise do Brésil, Zero e Caeu – Liniker consegue efectivamente contagiar-nos, num ritmo soul e de black music a que é impossível ficar indiferente.

Ouça agora, na integra, Louise du Brésil. Uma das músicas que integram meu EP de lançamento, “Cru”. Agora é só aumentar o som no último, fazer aquela coreô cas amigue e arrasar no meio do salão. Pra dançar soltinho e ouvir com a alma.Agradeço, antes de mais nada, minha banda querida, Guilherme Garboso, Márcio Bortoloti, Paulo Costa, Rafael Barone, Willian Zaharanszki, Bárbara Rosa, Ekena Monteiro e Renata Santos. Também toda a equipe que tornou isto possível Leila Penteado, Dré Guines, Nivaldo Dakuzaku, Breno Rodrigues, Dado Marcondes, Paulo Delfini, Pericles Zuanon, Marcia Bolsoni, Amanda Zaharanszki e Rodolfo ZaharanszkyCURTA, COMPARTILHE, mande pra tOdo MUNDO, e bora ARRASAr no balancê! #louiseatéqueenfim #CRU #lançamentoficial #LinikerEosCaramelows #senteoswing #sejogaquetásucesso #LinikerOficial #Vulkania #Araraquara #MusicaIndependente

Publicado por Liniker em Quinta-feira, 15 de Outubro de 2015

Vemos, ouvimos e sentimos, um jovem negro, de brincos, coroado com um turbante e uma saia negra. Uma composição que faz todo o sentido e acima de tudo é genuína – o seu visual é o que mesmo que usa no quotidiano, fez questão de se dar a conhecer como de facto é:“As pessoas precisam saber que eu sou negro, pobre e gay e posso ter uma potência também. Sou um artista que se expressa assim”.

Nas suas próprias palavras: “cada corpo é uma história”. Que a sua seja longa e se mantenha fiel a si mesma!

Saiba um pouco mais sobre o Liniker visitando a sua página oficial do Facebook

Fonte: El País

 


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *