Mês das Crianças: O Maravilhoso Mundo da Espontaneidade Arte e Cultura

Mês das Crianças: O Maravilhoso Mundo da Espontaneidade


No Brasil, comemorou-se no dia 12 de outubro, o dia de Nossa Senhora Aparecida – padroeira do Brasil e também o dia das crianças. Há uma infinidade de exemplos de filmes com atuações incríveis de crianças prodígios, mas há de se ressaltar que atores mirins nem sempre dominam técnicas de interpretação e sim, espontaneidade e sensibilidade, arrebatadoras. E para encerrar o mês de outubro, sairemos do tradicional TOP 10, para o inédito TOP 12, em homenagem ao recente dia das crianças.

12*) Justin Henry – “Kramer x Kramer” (Dir: Robert Benton. Estados Unidos/1979)

Famoso filme que retrata as agruras de um casal americano, de classe média, divorciados, lutando pela guarda do filho pequeno. Justin Henry, atua de forma tão verossímil que fez por merecer sua indicação ao Oscar, aos 8 anos de idade. Continuou atuando na fase adulta, sem o brilho e encantamento da infância.

11*) Mélusine Mayance – “A Chave de Sarah” (Dir: Gilles Paquet-Brenner. França/2011)

A dor, o desespero e os horrores da Segunda Guerra Mundial, representados com veemência pelo talento inconteste da excelente Mélusine Mayance. Uma performance marcante de uma pequena grande atriz.

10*) Victoire Trivisol – “Ponette” (Dir: Jacques Doillon. França/1996)

O filme mostra o desmoronamento emocional de uma criança de 4 anos, ao saber da morte de sua mãe. A atuação de Victoire Trivisol é tão impressionante, comovente e realista, que fica difícil saber se estamos diante de uma encenação ou flagrante de alguma perda real da atriz mirim. Num caso único de toda a história de premiações, a pequena Trivisol conquistou o prêmio de melhor atriz no Festival de Veneza, com apenas 4 anos.

9*) Jackie Coogan – “O Garoto” (Dir: Charles Chaplin. Estados Unidos/1921)

O genial Charles Chaplin realizou mais uma obra-prima, desta vez com foco na adoção e amizade por um garotinho. Jackie Coogan fez rir e chorar plateias do mundo inteiro com sua atuação corporal e facial, à época do Cinema Mudo. Sua performance histriônica, conquista através do seu carisma absurdamente notável. Teve uma carreira de sucesso. Viajou internacionalmente e foi recebido por multidões. Na TV fez sucesso como Tio Fester da “Família Addams”. Morreu de parada cardíaca, em 1984, aos 69 anos. Tem seu nome na Calçada da Fama.

8*) Christian Bale – “Império do Sol” (Dir: Steven Spielberg. Estados Unidos/1987)

Já em sua estreia, ninguém teve dúvidas do imenso talento deste jovem promissor. Christian Bale é o grande protagonista do filme, capaz de transmitir as diversas camadas de seu personagem, que enfrenta os horrores de um campo de concentração sem jamais perder seu lado sonhador. De todos, foi o que melhor soube construir uma carreira de sucesso inabalável, tendo conquistado, inclusive, um Oscar de melhor ator coadjuvante, na fase adulta.

7*) Linda Blair – O Exorcista (Dir: William Friedkin. Estados Unidos/1974)

Considerado como o melhor filme de terror de todos os tempos, ainda hoje, a atuação de Linda Blair impressiona como a menina possuída pelo inominável, em cenas repulsivas e chocantes. Indicada ao Oscar aos 14 anos. Cresceu sem jamais repetir o sucesso e sem nunca conseguir deixar de ser associada a tal personagem.

6*) Ricky Schroder – “O Campeão” (Dir: Franco Zeffirelli. Estados Unidos/1979)

Ricky Schroder interpreta o filho que incentiva o pai a voltar aos ringues e tornar-se campeão. Schroder imprime muita energia e carisma em cena. Contracenando com John Voight, suas cenas são vibrantes e emocionantes. Premiado com o “Globo de Ouro” de melhor nova estrela masculina.

5*) Claude Jarman Jr. – “Virtude Selvagem” (Dir: Clarence Brown. Estados Unidos/1946)

Entre Gregory Peck e Jane Wyman, em cena, temos o talento primoroso do jovem Claude Jarman Jr. Seu personagem faz de tudo para criar um filhote de cervo – seu único amigo -, na fazenda onde mora. A atuação de Jarman Jr. encanta pela explosão de sentimentos em sua jornada rumo à maturidade. Ganhou um Oscar especial da Academia, por sua atuação em “Virtude Selvagem”, aos 13 anos. Fez mais 11 filmes e abandonou a carreira em prol da Marinha Americana.

4*) Haley Joel Osment – “O sexto Sentido” (Dir: M. Night Shyamalan. Estados Unidos/1999)

O garotinho que “via mortos”, viu também seu nome entre os indicados ao Oscar, aos 11 anos de idade. Uma atuação contida, de olhares e expressões faciais perfeitas, que encantou o mundo inteiro. Enquanto criança, fez vários filmes, mas perdeu seu encanto na transição para a fase adulta.

3*) Christina Ricci – “A Família Addams” (Dir: Barry Sonnenfeld. Estados Unidos/1991)

Impossível imaginar outra atriz interpretando Wandinha Addams. Christina Ricci capturou com maestria, a essência do humor negro de sua personagem. Com uma postura ereta, altiva, olhar frio e penetrante, e um sorriso sarcástico, Ricci se destacou por completo no filme “A Família Addams”, com apenas 11 anos. Mostrou a que veio, fazendo uma excelente transição para a fase adulta em papéis memoráveis como “Tempestade de Gelo”; “Monster – Desejo Assassino e “A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça”. Uma atriz de talento firme e crescente.

2*) Pelle Hvenegaard – “Pelle, O Conquistador” (Dir: Bille August. Dinamarca/1989)

Pelle Hvenegaard ainda era um feto, quando sua mãe leu o livro que dá título ao filme. Apaixonou-se tanto pela estória, que escolheu batizar seu filho com o mesmo nome do personagem do livro. Este é o único filme em que Pelle Hvenegaard atuou. Tamanha entrega e sensibilidade na atuação o coloca no rol das melhores atuações infantis de todos os tempos.

1*) Anna Paquin – “O Piano” (Dir: Jane Campion. Nova Zelândia/1993)

A personagem de Annna Paquin é tão importante na trama, quanto da protagonista Holly Hunter. Ambas duelam em cena de igual pra igual. Não à toa, foram premiadas com o Oscar de melhor atriz (Holly Hunter) e melhor atriz coadjuvante (Anna Paquin, aos 11 anos). Sem dúvida, uma das maiores justiças do Oscar. Estamos diante da mais incrível atuação infantil feminina. Anna Paquin conseguiu transitar bem para a fase adulta, alcançando maiores sucessos em séries de TV.

O dia das crianças é reconhecido em várias nações ao redor do mundo para homenagear as crianças, cuja data efetiva de comemoração varia de país para país. Para mais informações sobre o Dia das crianças visite  a  Wikipédia

Artigos recomendados:

Amor e Paixão: Sentimentos e Hormônios Mesclados em Profusão

O Que Terá Acontecido à Baby Jane? (Estados Unidos / 1962)

O espaço aterrorizante de Alien: a claustrofóbica ameaça de um passageiro


1 comentário em Mês das Crianças: O Maravilhoso Mundo da Espontaneidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *