Conheça os oito principios básicos para garantir a conformidade com regulamentos de segurança

Conheça os oito principios básicos para garantir a conformidade com regulamentos de segurança

A Eaton lançou um resumo dos oito regras que estão na base de uma boa estratégia empresarial de segurança e que lhe vão permitir garantir, na sua empresa, a conformidade com os exigentes regulamentos de iluminação de emergência.




A adequada infraestrutura de iluminação de emergência pode ser um argumento determinante para garantir a segurança das pessoas, em caso de incêndio, terramoto, inundação ou de outro evento potencialmente perigoso. Além das tradicionais considerações baseadas no bom senso, existem normas que não devem ser ignoradas e que podem fazer toda a diferença na altura certa. Verifique já estas oito regras.

  1. Correta avaliação de riscos: considere a necessidade de fazer uma avaliação dos riscos de segurança do edifício da sua empresa para garantir uma resposta que não apenas garanta a conformidade com a legislação em vigor, mas que sobretudo assegure uma iluminação de emergência adequada para a segurança das pessoas e instalada de forma a cobrir todos os riscos identificáveis. Tenha em atenção detalhes como as áreas iluminadas, os níveis mínimos de iluminação, o brilho máximo para evitar encandeamento, entre outros.
  2. Conhecer a oferta: optar por material mais barato é uma escolha que pode amiúde revelar-se mais dispendiosa. Gaste tempo a conhecer o hardware que vai implementar, e tenha em conta que o material mais barato implica muitas vezes um tempo de vida reduzido, óticas de qualidade inferior e maior índice de falhas.
  3. Pensar a longo prazo: esta dica está diretamente relacionada com a anterior. Ao optarem por produtos de elevada qualidade e aprovados pela indústria as empresas poderão ter uma despesa inicial superior, mas têm também a garantia de melhor rendimento e um melhor desempenho de espaçamento, o que significa que são necessárias menos unidades para cumprir as mesmas exigências de iluminação. Como exemplo podem ser citadas as luminárias de emergência LED de baixo consumo e componentes de longa duração, teste automático e dispositivos de longa duração, que reduzem significativamente os custos operacionais e de manutenção.
  4. Certificação é palavra de ordem: a forma mais fiável de garantir que a iluminação de emergência é a mais adequada é adquirir produtos com certificação de entidades aprovadas, como o ENEC. O ENEC é uma marca europeia que assegura a qualidade de produtos elétricos e a sua conformidade com normas europeias. Ao juntar esta certificação ao cumprimento das instruções dos fabricantes e às normas de utilização dos equipamentos, as empresas conseguem mitigar os riscos e garantir uma iluminação adequada.
  5. A importância da localização: tenha muita atenção quando definir o local de instalação da iluminação de emergência. Iluminar os caminhos de evacuação, as mudanças de direção ou os lances de escada é um argumento essencial. Estude atentamente os regulamentos locais para escolher os produtos mais recomendados para uma iluminação de emergência adequada e em conformidade.
  6. Rumo à saída: como é natural, a iluminação de emergência deve ser escolhida de acordo com a aplicação e condições ambientais para garantir uma via segura de saída. A Eaton disponibiliza uma ampla oferta de produtos de iluminação de emergência para soluções estanques, grandes alturas e industriais, entre outras.
  7. Manutenção e assistência: como foi referido acima, a qualidade dos produtos pode ser determinante na redução das atividades de manutenção e assistência. Mas existem outros argumentos que devem ser tidos em conta nesta equação, nomeadamente a possibilidade de implementação de sistemas de auto teste – como o CGLine+ – que eliminam a necessidade de testes manuais. Estes testes permitem recolher os dados necessários para identificar as avarias e a causa da mesma e agilizar o processo de reparação.
  8. Atenção aos sinais: não é apenas a iluminação de emergência que interessa num plano de segurança, como sabe. Numa fase inicial, não se esqueça de considerar a sinalética que assegura que os caminhos de evacuação estão claramente definidos e identificados. Estude a norma EN1838, que define as condições de iluminação de emergência dos sinais para que estes estejam claramente visíveis, assim como a ISO3864-4 e a ISO7010, que estipulam o contraste de cores e outras exigências que não podem ser ignoradas.

Rui Florêncio, Field Product Manager for Emergency Lighting, refere que «estas considerações da Eaton são indicações gerais que não devem ser ignoradas e baseiam-se num ímpar conhecimento do mercado e das imposições legais que o caracterizam». O responsável de área da Eaton Portugal sublinha que «uma solução de iluminação de segurança pensada cuidadosamente tendo em conta as dicas da Eaton permite assegurar uma resposta adequada quando ela for necessária e reduzir os custos de manutenção e assistência dos produtos – algo especialmente importante numa altura em que é necessário equilibrar a implementação de soluções adequadas com as restrições orçamentais que norteiam os investimentos das empresas».

Artigo anteriorPróximo artigo
é admirador de Steve Jobs e Elon Musk. Apaixonado por novas tecnologias, especialmente ligadas à secção de negócios empresariais e de Gadgets, acompanha de perto todas as novidade do mundo das TI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.