Mobile

Acer pretende dedicar-se mais a Chromebooks e dispositivos Android


O Windows 8 tem ficado muito aquém do que os parceiros de hardware da Microsoft esperavam e o anúncio do seu sucessor não parece ter contribuído para aumentar o clima de optimismo. Aliás as vendas de computadores pessoais têm caído a pique devido à competição dos dispositivos móveis. A Acer é um dos fabricantes que está a ser afectado pela diminuição do mercado de PCs e vai começar a dedicar-se mais ao fabrico de Chromebooks e dispositivos móveis com Android.

O mercado global de PCs está a encolher, e continua numa trajectória descendente de acordo com indicadores recentes, o que significa que existe um número significativo de fabricantes OEM que estão a ponderar o que fazer de seguida. A Acer é uma das empresas que olha para este cenário com preocupação e que encontra no Windows o principal responsável pela fraca adesão nas vendas. Segundo o WSJ a empresa sediada em Taiwan vai começar a lançar menos dispositivos com o Windows (calculamos que também inclua o Windows Phone) e apostar mais em Chromebooks (notebooks/portáteis com o Chrome OS) e em dispositivos móveis com Android. A Acer é talvez um dos primeiros grandes fabricantes de PC a ponderar esta mudança o que obviamente é uma grande notícia para a Google.

Embora a Acer seja um fabricante com uma forte presença no mercado de computadores pessoais não se trata de um fabricante qualquer. A Acer é um dos fabricantes que mais vende computadores pessoais com o Windows em todo o mundo, além de ser também um tradicional aliado da Microsoft. Mas quando dinheiro é envolvido na equação esta lealdade não poderia durar para sempre, porque para a Acer pode ser uma questão de vida ou de morte.

Alegadamente durante uma reunião com os investidores nesta quinta feira, a empresa anunciou resultados que ficaram muito aquém do esperado. De entre esses valores, destacamos que a Acer registou prejuízos na ordem dos €15.3 milhões de euros no último trimestre deste ano. Contudo, o presidente da empresa Jim Wang referiu aos investidores que um dos objectivos da empresa era potenciar o crescimento do seu negócio de dispositivos com sistemas alternativos ao Windows. Na mesma reunião o responsável máximo da Acer revelou que o Android é muito popular e dominante no mercado de Smartphones e tablets e que vê uma oportunidade de mercado nos Chromebooks

img_acer_chromebook_android_02

A Acer não é uma empresa estranha nestes mercados, além de desenvolver tablets de baixo custo com o Android, foi um dos principais apoiantes do Chrome OS. Aliás actualmente vende o modelo C7 Chromebook (apresentado em cima) que tem sido um dos notebooks mais vendidos na Amazon. Estima-se que os dispositivos com Chrome OS e Android vão representar cerca de 10 a 12 por cento das receitas contabilizadas pela Acer até o final do ano. Mas uma empresa com os recursos da Acer, pode-se adaptar rapidamente ao mercado competitivo dos Smartphones e tablets, e fazer crescer esta percentagem nos próximos anos.

Esta mudança de direcção da Acer pode ter resultados muito positivos na oferta mais diferenciada no mercado, o que em última instância beneficia os consumidores. Talvez este primeiro indicador da Acer, seja uma grande oportunidade para o mercado de computadores pessoais sofrer um “abanão”. Trata-se de um mercado envelhecido e estagnado devido a ter sido durante muitos anos dominado por um sistema operativo e onde a Microsoft ditava as regras. Na prática o que está a matar este mercado é o facto de não existir uma diferenciação clara dos computadores existente como a que existe actualmente nos dispositivos móveis.


2 comentários em Acer pretende dedicar-se mais a Chromebooks e dispositivos Android

  1. Rogério

    Na realidade o Windows 8 tem sido uma grande desilusão e todos os grandes fabricantes tem vindo a assistir a um quebra de vendas. A estratégia da Acer parece correta.

    • Rui Oliveira

      Rogério, infelizmente temos de concordar. Todos os indicadores revelam isso. Por alguma razão a Microsoft se recusou até agora a revelar indicadores precisos de quantas cópias do windows 8 já vendeu.

      Referimos infelizmente por uma razão, o mundo tecnológico e até a própria economia precisa de uma Microsoft forte que traga inovação. Esperemos que a recente re-estruturação da empresa ajude a inverter este cenário. Infelizmente não vejo esse cenário a se inverter num futuro próximo, parece-me que existe também um problema de liderança.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *