Programa Fast Track da Visa impulsiona o crescimento das Fintech

Programa Fast Track da Visa

Programa Global Fintech Fast Track cresce 280% em menos de um ano, apoiando Fintechs de empreendedoras femininas, carteiras de moeda digital e inovadores nas áreas B2B e B2C.

Antigos participantes no programa estão a ajudar a minimizar o impacto da pandemia da Covid-19

As Fintechs são parte central do ecossistema global de pagamentos e, no meio de uma situação excecional causada pela pandemia da Covid-19, ganharam um papel de ainda maior destaque, relatando aumentos significativos no uso das suas apps móveis, numa altura em que cada vez mais pessoas gerem as suas contas a partir dos seus dispositivos pessoais. Hoje, a Visa (NYSE: V) volta a reforçar o seu apoio contínuo à comunidade mundial das Fintech com o aumento do Programa Fast Track, que integra agora mais de 140 Fintechs. Desde a expansão internacional em meados de 2019, o programa Fast Track cresceu 280%, o que reflete o aumento da procura por pagamentos digitais em todo o mundo.

O Fast Track permite que, tanto empresas recém criadas, como as já consolidadas no mercado, aproveitem a velocidade, segurança, credibilidade e escala da rede Visa para começar a operar de forma quase imediata, passando o processo de meses para semanas. O programa permite acesso imediato aos parceiros do ecossistema da Visa, licenciamento on-line, APIs da Visa, além de ferramentas para iniciação no mercado, educação on-line e consultoria especializada para ajudar as Fintechs a expandir os seus negócios. Com novos membros oriundos da África, Ásia-Pacífico, Europa, América Latina, Médio Oriente e América do Norte, estas Fintechs estão a transformar a forma como consumidores e empresas gerem dinheiro, investem, recebem empréstimos e fazem pagamentos em todo o mundo.

“O nosso objetivo é trazer as melhores Fintechs para o ecossistema Visa, ajudando-as a crescer em tempo recorde”, diz Terry Angelos, Vice-Presidente Sénior e Diretor Mundial de Fintech da Visa. “Através de programas como o Fast Track, a Visa está empenhada em ajudar as Fintechs, muitas das quais pequenas empresas, a aumentar o seu potencial e a entrar no mercado o mais rápido possível, para que estejam preparadas para desenvolver inovações que possam fazer evoluir o nosso mundo, todos os dias, especialmente nos tempos em que vivemos”.

Fintechs que integram o Programa Fast Track Fintechs focam-se na recuperação

Alguns parceiros Visa, incluindo a Airwallex, Fundation e Rappi, usaram o seu foco contínuo em inovação e crescimento para responderem de forma mais ágil à pandemia da Covid-19. A Airwallex, fundada na Austrália, estendeu o apoio às pequenas empresas australianas e britânicas que enfrentam necessidades, isentando-os de taxas nas transações internacionais. A Fundation, com sede nos EUA, está a ajudar pequenas empresas a obter rapidamente o capital que necessitam durante este período. A Rappi, empresa colombiana, começou a testa entrega de alimentos com robôs, de modo a minimizar a propagação do vírus no país. Nestes vídeos, a Airwallex e a Rappi falam das suas experiências de trabalho com a Visa.

“Nesta altura particularmente difícil, é mais importante do que nunca que possamos apoiar as pequenas empresas, ajudando-as a obter, de forma célere, os fundos necessários para se manterem à tona”, afirma Sam Graziano, CEO da Fundation. “Através da nossa parceria com a Visa, continuaremos a inovar e desenvolver estratégias para ajudar os nossos clientes a proteger e recuperar os seus negócios”.

Visa acolhe uma nova classe de inovadores

Os mais novos membros do Programa Fast Track abrangem um leque diversificado de empresas, incluindo Fintechs criadas por empreendedoras femininas, carteiras de moeda digital, e fornecedores de soluções B2B e B2C. Os principais destaques vão para:

  • Novas parcerias de viabilização: o Fast Track só é possível graças a parcerias de viabilização celebradas com empresas chave na área da tecnologia, que lançam as bases para a Fintechs desenvolverem os seus produtos. Hoje, foram anunciados três novos parceiros, a Cascade FinTech, Deserve e PEX Card, que a partir de agora integram a Fast Track nos Estados Unidos da América, onde já estão empresas líderes como Galileo, Marqeta e Stripe, elevando o número total de parceiros para mais de 20 em todo o mundo.
  • Empreendedoras femininas: A Visa continua empenhada em apoiar a paridade de género. O investimento da Visa em empresas fundadas por mulheres é enfatizado pela inclusão das Fintechs Airwallex da Austrália e gogo Getter e Kikoff, da América do Norte.
  • Carteiras de moeda digital: as carteiras de moeda digital cresceram exponencialmente, e contam, atualmente, com mais de 139 milhões de contas. Para apoiar esse mercado em expansão, as empresas Fast Track focadas em moeda digital como a Fold, Genesis Block e TrustToken estão a ligar os seus clientes a 61 milhões de comerciantes que integram a rede Visa em todo o mundo.
  • Gestão de finanças pessoais: em várias plataformas, a Visa pretende facilitar a gestão diária das finanças pessoais dos consumidores. As empresas europeias Lydia e Swile, , a africana Paga, SoLo Funds nos EUA e Wally, nos Emirados Árabes Unidos, estão entre as empresas Fast Track que simplificam a gestão de dinheiro e impulsionam a adoção de apps Fintech nos seus países.
  • Apoio a pequenas empresas: A Visa continua a transformar o ecossistema de pagamentos B2B para a era digital. São parte do programa a Capital on Tap, empresa britânica de empréstimos online, que fornece cartões de crédito e empréstimos a mais de 60.000 PMEs, e a Fundation, com sede nos EUA, que fornece uma plataforma de processamento digital para bancos e credores de pequenas empresas. São ainda membros a Konfio, uma startup com sede no México que usa uma abordagem baseada em dados para permitir uma avaliação rápida de crédito para pequenas e médias empresas, e a Neat, uma startup de Hong Kong que permite que as PMEs expandam os seus negócios globalmente.

“Atualmente, é mais importante do que nunca ajudar as pequenas empresas a enfrentar os diferentes desafios financeiros”, diz David Arana, CEO da Konfio. “Ao trabalhar com a Visa e através do programa Fast Track, conseguimos oferecer às pequenas empresas acesso a serviços financeiros a que muitas vezes não têm acesso, além de oferecer opções para PMEs que precisam de linhas de crédito para fazer os mais variados pagamentos, o que é especialmente importante no cenário atual. Também desenvolvemos ferramentas e pesquisas de mercado para complementar os nossos serviços financeiros”.

“Depois de entrar recentemente no programa Fast Track da Visa, conseguimos rapidamente disponibilizar o nosso cartão de débito co-branded nos Estados Unidos”, refere Will Reeves, CEO da Fold. “Ao trabalhar com a Visa, estamos a cumprir o nosso objetivo de oferecer aos consumidores uma maneira fácil de ganharem recompensas em bitcoin, que podem ser utilizadas nos seus gastos diários, e a ajudar a nossa empresa a crescer, com o apoio da vasta rede e recursos da Visa”.


Mais informações sobre o programa Fast Track da Visa e como participar, aqui.

Artigo anteriorPróximo artigo
Avatar
é um dos fundadores do TecheNet, juntamente com Jorge Montez.. O design é uma das suas paixões, tendo criado o estúdio Parapluie que desenvolve trabalhos de webdesign e design gráfico para os mercados brasileiro e português.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.