Ciência

Chuva de diamantes pode encher os céus de Júpiter e Saturno



Parece ser ficção científica, mas investigadores anunciaram esta semana, que cerca de 10 milhões de toneladas de diamantes estão armazenados nos planetas Saturno e Júpiter.

Esta evidência tem por base as tempestades que ocorrem nos ditos planetas e que por sua vez geram activamente diversas partículas de carbono, estes combinados com novos compostos, levaram a que um grupo de cientistas concluíssem que ambos os planetas podem oferecer ambientes estáveis para a formação de diamantes.

“Sabemos que o limite de temperatura para que o diamante esteja sólido é cerca de 8 mil Kelvin (7.726,85 graus celsius), acima desta temperatura, o diamante derrete. Os planetas de Saturno e Júpiter possuem uma pressão mais precisa”, afirmou Kevin Baines, cientista planetário da Universidade de Wisconsin-Madison e co-autor do estudo apresentado nesta semana em uma conferência em Denver, Colorado.

manchas_rojas_de_jupiter_resize

Estes dois resultados juntos (temperatura e pressão) mostram pela primeira vez, que os diamantes sólidos podem existir em grandes regiões verticais de ambos os planetas. Os cientistas sugerem que a temperatura e a pressão intensas sobre os planetas podem ser capazes de converter o gás metano atmosférico, directamente em diamantes, o que resulta numa intensa chuva de diamantes.
Estima-se que estes planetas produzam cerca de mil toneladas de diamantes por ano.

Quanto ao saber se os nós, os terrestres, teriamos a possibilidade de explorar estes magníficos diamantes, uma solução viável, seria o envio de robôs robustos para colherer os mesmos. Talvez daqui a 500 anos, isto já possa ser financeiramente mais prático e possível, dizem os investigadores.


2 comentários em Chuva de diamantes pode encher os céus de Júpiter e Saturno

  1. Este artigo pode nos levar a uma reflexão sobre valores. Sobre o que é importante e o que não é em nossas vidas. Enquanto na Terra os belos diamantes são raros, a ponto de passarmos uns sobre os outros para adquiri-los, em Júpiter e Saturno eles chovem e são tão triviais quanto o granizo, ou outros fenômenos naturais.

    Enquanto aqui poluímos nossos recursos naturais, chegando até mesmo a alterar a temperatura de nosso planeta, lá a pressão atmosférica e a temperatura tornam a vida impossível. Se houvesse um observador vivo na superfície do planeta experimentaria um período de terror ao ser atingido pela substância mais dura que a natureza produziu (aqui na Terra).

    Espero realmente que nos tornemos seres humanos mais conscientes (e com melhores valores) em 500 anos e que não consumamos nossa própria alma na busca de um El Dorado (dessa vez feito de diamantes, ao invés de ouro) em outros planetas.

    • Olá Paulo,
      Concordo plenamente consigo, mas, infelizmente, não me parece que o ser humano esteja a evoluir nessa direção.
      Obrigado pelo seu comentário e pela sua visita ao TecheNet.

      Um abraço,
      Alfredo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *