Sustentabilidade

Portugal Pioneiro – Energy Box



Os tradicionais contadores de electricidade vão desaparecer e dar lugar a uma “Energy Box”, uma caixa/contador que permite fazer a telecontagem dos consumos de energia, ter acesso a informação detalhada sobre o consumo, possibilitando ao consumidor conhecer as horas do dia em que mais consome e aquelas em que pode usar electricidade a um preço mais favorável.

Esta informação vai permitir que a factura de energia eléctrica tenha por base consumos reais, recolhidos de forma automática e com periodicidade mensal.

Será o próprio consumidor a realizar alterações contratuais de potência, ciclo, ou tarifário, sem a necessidade de deslocação de pessoal especializado. Pode ainda consultar a análise do seu padrão de consumo ou fazer simulações de ciclos horários, sendo até possível a programação de avisos automáticos em função de parâmetros definidos por si. Para quem faz micro produção de energia eléctrica a Energy Box permitirá a consulta de balanços energéticos da habitação, podendo identificar, de forma simples, os períodos em que é consumidor e os que é produtor.

A empresa de serviços energéticos poderá, por causa deste sistema, oferecer aos seus clientes serviços e planos de preços permanentemente adaptados aos diversos perfis e necessidades de consumo, bem como acesso a soluções integradas de domótica para interagir com vários dispositivos de consumo doméstico.
O projecto está a ser desenvolvido por um consórcio industrial, que tem como principal parceiro a EDP. Na fase piloto são feitos os respectivos ajustes, bem como definidos os preços a pagar pelos clientes aquando da instalação da Energy Box, que não irá obrigar a alterar os electrodomésticos nem qualquer instalação eléctrica em casa.

Sem conhecer ainda os custos totais envolvidos, sabe-se que a fase-piloto implica um investimento de 12 milhões de euros, não se sabe por quanto ficará para os seis milhões de consumidores, é possível adiantar quais as vantagens, quer para operadores comerciais quer para os consumidores.

Por princípio, todos terão uma caixa igual, que permite fazer a telecontagem, evitando desse modo as leituras em casa e mesmo as estimativas que surgem nas facturas, que tantas vezes obrigam a acertos no final do ano. Com a Energy Box, a leitura é permanente e envia a informação actualizada para uma central comercial do operador.

Os novos contadores vão ter um interface de comunicação, “um pequeno ecrã a instalar num ponto de referência da casa que vai alertando para um consumo exagerado ou não, em determinado momento.

Uma das vantagens apresentadas pela Energy Box é a hipótese de mudar de operador com um simples telefonema, abrindo assim as portas ao mercado concorrencial, além de melhorar muito a qualidade do serviço.

A Energy Box vai ter várias versões, desde a mais simples à mais complexa. Ou seja, como tem capacidade de receber inteligência, esta ser-lhe-à acrescentada em módulos, de acordo com as exigências dos consumidores.

Mas, a EnergyBox, tem ainda outras vantagens para os consumidores, algumas, se não no imediato, pelo menos a médio prazo: programação da energy box para fazer a gestão dos consumos dentro de casa, para que se tenha um consumo de electricidade mais eficiente. Por exemplo, apagar determinadas lâmpadas que ficaram ligadas por descuido; também permite a monitorização e controlo de toda a rede de baixa tensão e assim fazer uma gestão mais eficiente da rede.

Vários países já estão interessados no projecto

Energy Box é a face mais visível do InovGrid – um projecto da EDP que está já a despertar a curiosidade de outros países mais atrasados nesta área.

Na Europa, apenas Itália dispõe de um sistema semelhante, que se limita à telecontagem, mas é pouco flexível. Espanha, França e Alemanha também estão a desenvolver projectos.

O InovGrid visa dar as melhores respostas à microprodução e que resultou de um consórcio industrial em que participam a Efacec, a Janz, a Logica, a No Limits e o INESC Porto.

Contadores com novas capacidades

A Energy Box, que começou a substituir os actuais contadores a partir de 2010, acabará com a presença dos funcionários da EDP a fazerem a leitura do consumo e também com a ida a casa dos consumidores para o corte de energia.

Sistema em cadeia

O sistema a implementar pela EDP funciona em cadeia. Na base, estarão os novos contadores que passam a informação até um ponto de transformação. Daí a informação será enviada para dois sistemas, o comercial e o técnico.

É uma boa ideia, apresenta-se como vantajosa… aguardam-se resultados e conclusões!

Imagem cortesia de Free Digital Photos


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *