Scout Willis protesto Instagram Notícias

CEO do Instagram defende censura de mamilos depois do protesto de Scout Willis


O co-fundador e CEO do Instagram veio defender publicamente as regras de nudismo da rede social após o protesto contra a censura dos mamilos feito por Scout Willis ao andar pela cidade de Nova Iorque em topless após ter sido banida do Instagram. Kevin Systrom deixou bem claro a sua posição ao frisar uma vez mais as regras dizendo que “não podem publicar fotos que contenham violência, nudez, nudez parcial, pornografia ou cariz sexual”.

Scout Willis, filha de Bruce Willis e Demi Moore, foi removida do Instagram após ter publicado uma fotografia de uma sweatshirt criada por ela onde surgem duas modelos em topless. A jovem de 22 anos decidiu depois criar uma campanha (#freethenipple) no Twitter onde publicou várias fotografias que mostravam Scout às compras em Nova Iorque completamente em topless.

A filha do actor não foi a única “famosa” que se viu banida da rede social devido a mostrar mais do que as regras permitiam, Grace Coddington – directora creativa da Vogue US e antiga modelo – foi temporariamente banida uma semana depois de ter publicado um desenho em que ela aparecia em topless numa cadeira de baloiço. Rhianna, que tinha mais de 1.3 milhões de seguidores no Instagram antes de ter encerrado a sua conta deu o seu apoio à campanha #freethenipple através da sua conta no twitter.

#freethenipple

Systrom afirmou em entrevista à BBC Newsbeat que as regras no Instagram são exactamente as mesmas tanto para celebridades como para utilizadores que não são famosos, para que seja possível manter a rede social apropriada tanto para adolescentes como para adultos.

Num artigo publicado no blog XO Jane depois de iniciada esta sua campanha, Scout Willis explicou em detalhes as suas razões para lançar esta campanha.

“As mulheres são constantemente excluídas do Instagram por publicarem fotografias com a minima exposição da auréola do mamilo, enquanto fotografias ‘sem mamilo’ – degradantes como tantas delas são – continuam online sem qualquer acção. Por isso mesmo resolvi andar em Nova Iorque a fazer topless e documentar esta acção através do Twitter, salientando que o que é permitido legalmente pelo estado de Nova Iorque não é permitido no Instagram.”

Depois do grande impacto que esta campanha teve nas redes sociais, responsáveis do Instagram entraram em contacto com Scout Willis dizendo que estariam dispostos a reactivar a sua conta na rede social, mas sem qualquer uma das imagens que estaria a infringir as políticas da empresa.


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *