Doclisboa 2015 Arte e Cultura

Doclisboa 2015: Onze dias de cinema intenso


A Sessão de Abertura do Doclisboa 2015, no dia 22 de Outubro terá lugar no Grande Auditório da Culturgest com a exibição de “Bella e Perduta” (Lost and Beautiful) do italiano Pietro Marcello.

No dia seguinte, será a vez dos portugueses na Sessão Especial Heart Beat, com o filme “Celeste” de Diogo Varela Silva e “Porque não sou o Giacometti do Século XXI (Because I am not the 21st century’s Giacometti)” de Tiago Pereira, na Sala Manoel de Oliveira, no Cinema São Jorge.

Podemos afirmar que o Doclisboa é um acontecimento que já tem bem demarcada a sua relevância, no contexto do cinema português e internacional do século XXI: desde 2000 que nos proporciona encontros com o que se faz em Portugal e no mundo, conversas, encontros, divulgação, revelação e confirmação de talentos.

Este ano podemos contar com a exibição de 236 filmes de 40 países, entre eles, 46 são portugueses e 43 terão a sua estreia mundial: seis na Competição Internacional, oito na Competição Portuguesa, quatro no Heart Beat, duas nos Riscos e 23 nos Verdes Anos.

Também teremos dez estreias internacionais: quatro na Competição Internacional, duas no Heart Beat, uma nos Riscos e duas no Cinema de Urgência.

A nível europeu, são quatro as estreias: três na Competição Internacional, uma no Heart Beat e nove primeiras obras em competição.

Portugal reúne 46 filmes, sendo que 10 deles estarão em competição.

São onze dias de cinema – a sessão de encerramento com a exibição de “El Botón de Nácar” (The Pearl Button) de Patricio Guzmán – marca o fim de festival, no dia 31 de Outubro, no Grande Auditório da Culturgest.

Entre as várias sessões e actividades, o Doclisboa apresenta a retrospectiva “I don’t throw bombs, I make films” – Terrorismo, Representação e a retrospectiva Želimir Žilnik.

 

Numa aposta para o futuro, na formação de jovens públicos, os mais novos terão o espaço Doc4kids, oficinas para crianças e jovens entre os 4 e os 15 anos, que lhes proporcionarão, através do visionamento de filmes, momentos de reflexão e de debate sobre os mesmos, em paralelo com propostas que materializem as ideias suscitadas pelos filmes.

Para os pais de crianças entre os 3 e os 10 anos, o festival dispõe de profissionais devidamente formados e certificados do Jardim da Fantasia que garantem um lugar seguro para os seus filhos, onde estes poderão brincar e aprender, enquanto os pais assistem ao cinema.

Por fim, destacamos um momento-chave no festival, na sessão Cinema de Urgência, nos dias 27, 28 e 29 de Outubro, terá lugar uma campanha de sensibilização e angariação de bens para os Centros de Acolhimento do Centro Português de Refugiados: as sessões são de entrada gratuita, mediante uma contribuição em géneros que reverterão a favor dos Centros do CPR.

A globalidade dos princípios orientadores da organização do festival, e esta iniciativa em especial, de apoio aos refugiados, atribuem todo o sentido às declarações da direcção do Doclisboa: ”Procurámos desenhar um festival como uma cartografia de experiências, passagens e encontros que, nesse lugar temporal de 11 dias, seja suficientemente intensa, eloquente e alegre: para que a resistência, a liberdade e o prazer possam sempre vir juntos no cinema e na vida.”

Mais informações em http://doclisboa.org/2015/


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *