Facebook testa sistema que distingue notícias verdadeiras de falsas

Há tempos que o Facebook deixou de ser apenas mais que um site para se conectar pessoas. Cada dia mais, a plataforma vem se transformando em um espaço ideal para a partilha de notícias, informações importantes e… falsos boatos! Contudo, a rede social de Mark Zuckerberg pode estar prestes a por um fim nisso.

Já em fase de testes, a plataforma disponibilizará o recurso que inclui a palavra “sátira” ao título dos links publicados a partir de sites especializados em notícias falsas – caso do The Onion, o G17, o Sensacionalista e o The Piauí Herald, por exemplo. Segundo o Facebook, trata-se de uma demanda dos próprios utilizadores, que desejam uma forma mais clara de identificar o conteúdo satírico que circula pela rede.

Entretanto, a forma como este recurso está sendo utilizado ainda é bastante complexo: em vez de apresentar o conteúdo junto aos links publicados pelos demais utilizadores, o conteúdo satírico surgirá nas sugestões apresentadas pelo próprio Facebook. Ou seja, ao clicar num link postado na rede, será exibida automaticamente uma lista com três sugestões de páginas que podem ser visitadas, das quais ao menos uma pertence ao site que gerou as indicações.

20140818114944

Ainda não se sabe ao certo quando a novidade entrará em funcionamento para todos os utilizadores da plataforma, nem se será exportada para outros países, visto que a operação não é tão de ser executada quanto parece, já que depende de curadoria humana: o Facebook precisa saber que o site é especializado em conteúdo satírico antes de identificá-lo como tal.

Via Ars Technica

Artigo anteriorPróximo artigo
Cláudia Assis
Jornalista, Assessora de Comunicação e Gestora de Marcas nas redes sociais, Cláudia Assis tenta definir a si mesma como "uma menina multitask". Aquariana [logo vanguardista!] e nômade por natureza, viu a sua vida ser conduzida numa viagem transatlântica rumo a Portugal. O objetivo inicial era um mestrado em Ciências da Comunicação mas, desde então, vive num enamoramento constante com a terra de Pessoa. E, assim como o poeta, ela é também muitas "pessoas". CAssis é uma delas [talvez a mais intensa] e que nada mais é que uma versão 2.0 de si mesma, um alter-ego nas redes sociais. O que “ambas” têm em comum? Falam muito. Sobre tudo e todos. Têm sempre uma opinião a dar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.