É hora de dizer “adeus” ao Google Authorship

Depois de pouco mais de três anos desde o seu lançamento do Google Authorship, a Google revelou recentemente que o serviço será descontinuado. Criado em 2012, a ferramenta possibilitava relacionar os artigos aos seus autores nas páginas de pesquisa do motor de busca: com este recurso, a imagem de perfil do autor era exibida juntamente com o nome e a numero de círculos do Google Plus nos quais o autor participava.

A funcionalidade já vinha sendo removida gradativamente da maioria dos resultados de pesquisa desde o início de junho, quando a empresa revelou que pretendia conjugar a experiência de navegação mobile e desktop, visto que as fotografias acabavam por ocupar grande parte do conteúdo nas telas dos dispositivos móveis.

Entretanto, na passada quinta-feira (28), John Mueller, analista de Web Trends do Google,
anunciou no seu perfil do Google Plus o fim definitivo do recurso:

 

Ainda em junho deste ano, um outra declaração também dada por John Mueller já teria posto em causa o sossego dos profissionais de SEO e administradores de websites. De acordo com Mueller, as imagens associadas ao authorship na maioria dos resultados de pesquisa estariam sendo removidas pelo Google. Além da fotografia do autor, o número de círculos vinculados ao perfil no Google Plus também estariam sendo suprimidos, mudanças que acabariam por afetar diretamente o tráfego dos websites e, consequentemente, o posicionamento das páginas.

O objetivo passava por deixar o visual das páginas de pesquisa mais “clean”, criando, deste modo, uma melhor experiência para os utilizadores mobile, oferecendo um design mais consistente para os dispositivos móveis. O novo design da página de pesquisa (fonte maior, remoção da linha sublinhada, eliminação do fundo amarelo na parte dos links patrocinados) está em linha com a preocupação da gigante tecnológica ao modo como os utilizadores lidam com as pesquisas realizadas em smartphones e tablets.

authorship-fim
Relativamente à descontinuação do Google Authorship, a empresa explica que a experiência ficou aquém das expectativas, tanto pela baixa taxa de adoção do serviço pelos autores e webmasters, quanto pelo baixo significado e importância para os pesquisadores. Além disso, a gigante tecnológica considerou que os custos com o serviço (principalmente ao nível de processamento) não justificavam a sua continuidade.

Via Portal MKT Digital

Artigo anteriorPróximo artigo
Cláudia Assis
Jornalista, Assessora de Comunicação e Gestora de Marcas nas redes sociais, Cláudia Assis tenta definir a si mesma como "uma menina multitask". Aquariana [logo vanguardista!] e nômade por natureza, viu a sua vida ser conduzida numa viagem transatlântica rumo a Portugal. O objetivo inicial era um mestrado em Ciências da Comunicação mas, desde então, vive num enamoramento constante com a terra de Pessoa. E, assim como o poeta, ela é também muitas "pessoas". CAssis é uma delas [talvez a mais intensa] e que nada mais é que uma versão 2.0 de si mesma, um alter-ego nas redes sociais. O que “ambas” têm em comum? Falam muito. Sobre tudo e todos. Têm sempre uma opinião a dar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.