Huawei partilha expectativas sobre tendências tecnológicas para 2018

Huawei Lifestyle

O passado ano de 2017 foi extremamente rico no que respeita ao desenvolvimento da tecnologia móvel, com a introdução do primeiro smartphone com tecnologia de Inteligência Artificial (IA) e a permanente implementação dos Assistentes de Voz Inteligentes, o exponencial avanço tecnológico continua a facilitar o dia-a-dia do utilizador com a constante interacção tecnológica. Assim sendo, a Huawei decidiu revelar as tendências tecnológicas que irão, na sua opinião, marcar 2018.

A fabricante chinesa iniciou o projecto “I Am What I Do” como parte integrante da campanha de lançamento do seu mais recente topo de gama Huawei Mate 10 Pro, onde trabalha de perto com alguns dos principais empreendedores da Europa. Representantes das mais diversas áreas, estes empreendedores utilizam a mais recente tecnologia para orientar e moldar o mundo em que vivemos, desde a mais simples aplicação no quotidiano dos utilizadores aos mais inacreditáveis avanços tecnológicos.

“À medida que a inteligência artificial se funde profundamente nas nossas vidas, no nosso dia-a-dia, estamos comprometidos a permanecer na vanguarda da inovação da IA, utilizando a tecnologia para dar uma experiência de utilização mais inteligente, mais rápida e intuitiva. Acreditamos que a tecnologia deve capacitar cada um de nós e ajudar a desbloquear todo o nosso potencial. Com as nossas capacidades de IA e a estratégia Chipset-Device-Cloud Open AI Eco, que inclui a criação do primeiro smartphone com IA, pretendemos permanecer inovadores e garantir que todos os nossos utilizadores tenham uma experiência tecnológica que beneficie as suas vidas.”, disse Walter Ji – Presidente da Huawei Consumer Business Group para a Europa Ocidental.




Tendências de Tecnologia 2018

As novas lentes do Huawei Mate 10 e Huawei Mate 10 Pro

Os telemóveis inteligentes são a nova Era

Não há dúvida que a mais recente vaga de smartphones com inovadoras capacidades IA deram iniciou a uma nova revolução no mercado dos smartphones, mostrando cada vez mais quanto um dispositivo móvel pode fazer para facilitar e aumentar a produtividade do nosso dia-a-dia. Peter Gauden, Global Senior Product Marketing Manager da Huawei, acredita que o futuro dos smartphones reside na sua proatividade, “fazendo com precisão o que queremos e quando queremos, fornecendo exatamente as informações e experiências corretas no momento certo”.

A Huawei foi uma das primeiras fabricantes a desenvolver um smartphone tendo como base as suas capacidades de inteligência artificial e “à medida que continuamos a entender o que a IA pode fazer, tornar as nossas vidas mais fáceis do que nunca será menos reativo e mais pró-ativo”.

IA: A próxima fronteira da moda

A inteligência artificial não irá apenas revolucionar o mundo dos smartphones, também o mundo da moda irá poder tirar grande proveito desta nova Era. De acordo com Monica Calicchio, fundadora da primeira marca de moda tecnológica – TailorItaly . as tecnologias emergentes darão origem à experiência de compras mais personalizada de sempre.

Não há dúvida que a possibilidade de realizar compras online, do conforto do nosso lar, veio mudar a forma como os consumidores realizam as suas compras para sempre. Com a chegada da Inteligência Artificial (IA), Realidade Virtual (RV) e Realidade Aumentada (RA), estamos perante outro acontecimento de grandes dimensões que irá mais uma vez transformar a forma como os consumidores fazem as suas compras. “Veremos as grandes marcas de moda integrar a tecnologia RV e RA na experiência de compras online, permitindo que os clientes experimentem roupas em qualquer lugar – tudo o que precisam é de um smartphone.

Tecnologia avançada encontra a natureza

“Num mundo cada vez mais limitado de recursos, é vital que nos voltemos para as tecnologias emergentes a fim de utilizar os materiais naturais que temos e colocá-los em funcionamento na nova onda de equipamentos para 2018. Já houve desenvolvimentos interessantes em que utilizamos materiais antigos, como a madeira, para lidar com os desafios do futuro e a forma como industrializamos esses materiais, algo em que iremos aumentar o financiamento para o próximo ano. Em 2018, veremos um aumento nas marcas da CleanTech, que entram no mercado e que procuram entender melhor como usar os nossos recursos naturais de forma sustentável e garantir que estejam equipados para a Era da tecnologia.”

Estas são palavras de Timothée Boitouzet, fundador e CEO da start-up CleanTech, WOODOO. O portfólio de clientes da sua empresa abrange diversos sectores, onde se pode encontrar indústrias de luxo automóvel e de construção. Timothée não tem qualquer dúvida de que as tecnologias limpas irão tornar-se na próxima tendência do consumidor, à semelhança do que aconteceu anteriormente com a grande onda de alimentação saudável e orgânica.

A nova relação entre homem e máquina

Oliver Bronner é o fundador da marca de consultoria Hy.am, sediada em Berlim, e acredita que na relação entre equipamentos com IA e os humanos a aprendizagem pode ser recíproca. Com todo o grande desenvolvimento e implementação de capacidades IA nos mais variados sectores, em 2018 a relação entre humanos e a máquina irá ser “simbiótica com a cortesia da Inteligência Artificial”.

“Por meio do uso continuado dos nossos dispositivos, por exemplo, a IA poderá absorver detalhes das nossas vidas quotidianas – das notícias que lemos, da música que escutamos e o conteúdo que assistimos e aproveita essas aprendizagens chave para proporcionar uma experiência mais personalizada. À medida que a IA continua a tornar-se parte integrante das nossas vidas, a tecnologia não nos informará apenas sobre feeds de notícias, listas de reprodução e programas de TV. Terá uma opinião sobre as coisas que importam, levando-nos a um caminho de auto-aperfeiçoamento, seja isso impedir um mau hábito, ou cumprir uma ambição de vida.”, afirma Oliver Bronner.

As Redes Sociais serão 4D

O fundador e CEO da empresa de consultoria de marketing de influenciadores Social Chain, Steve Barlett, acredita que as redes sociais se irão tornar tão imersivas que irão chegar ao ponto de cruzar a linha da realidade.

“As redes sociais passarão de uma experiência unidimensional a uma experiência totalmente imersiva nas quais os utilizadores se podem envolver com um “gosto” ou um “retweet”. O conteúdo 360 crescerá, permitindo que os consumidores partilhem conteúdo para que as pessoas explorem por sua própria vontade. Os feeds serão sobrepostos à realidade, seja através de aplicações habilitadas para RA, como o Snapchat ou o Instagram, auscultadores de ouvido com RV, ou mesmo através de uma lente de contato.”, disse Barlett.

 

“I Am What I Do”

Esta campanha foi criada de forma a suportar o lançamento do dispositivo mais recente da Huawei, o Mate 10 Pro, e concentra-se nas pessoas que mais podem tirar proveito das capacidades deste novo equipamento, tornando-se mais eficientes e práticas graças ao poder da Inteligência Artificial. Foi criada com o grande objectivo de motivar as pessoas a nível particular, de forma a inspirar a realização de sonhos e imaginar tudo o que pode ser alcançado com o suporte de uma tecnologia tão fantástica.

Artigo anteriorPróximo artigo
frequentou a licenciatura de Desporto em Setúbal e actualmente reside em Londres. Apaixonado por novas tecnologias e fã do "pequeno" Android desde 2009. Fundador e autor do blog Androidblog.pt, criado em 2012.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *