android_43_jelly_bean Mobile

Android 4.3 – O que há de novo?


Foi na passada quarta feira que a Google apresentou o novo Nexus 7 e o Chromecast, um dispositivo que promete redefinir o conceito de entretenimento em casa. Mas, uma das grandes novidades foi o anúncio da versão 4.3 do Android. Na prática não existem grandes alterações estéticas. Mas existem novidades a par de importantes actualizações de segurança. Conheça as sete melhores novidades do Android 4.3.

1) Suporte para perfis restritos (Restricted Profiles)

Este novo recurso é particularmente útil se tem filhos. O Android já há algum tempo permite que, quando instalado num dispositivo, seja partilhado por outros utilizadores através da definição de perfis. Mas agora com os perfis restritos, pode configurar ambientes separados para cada utilizador com restrições relativamente a que aplicações e recursos estão disponíveis nesses ambientes. Segundo o Google, “Cada perfil restrito oferece um espaço isolado e seguro com seu próprio armazenamento local, ecrã/tela inicial, widgets e configurações”.

img_android_43_jelly_bean_02

Esta nova funcionalidade é ideal para restringir acesso a aplicações que incluem conteúdo violento ou impróprio para crianças. Os perfis restritos são também ideais para utilizadores convidados e uso comercial em quiosques / pontos de venda.

2) Suporte OpenGL ES 3.0 para gráficos de alto desempenho

Na prática esta funcionalidade não interessa para já directamente ao utilizador típico do Android. Mas o Android é o primeiro sistema operativo móvel a suportar a norma OpenGL ES 3.0. Isto significa que os autores de jogos vão poder tirar partido desta norma para criar efeitos mais sofisticados. Estes efeitos traduzem-se em transparências, sombras e iluminações mais realistas e avançadas. Na prática o utilizador só vai benificiar a médio prazo, principalmente se for entusiasta de jogos. À medida que os grandes títulos forem actualizados vamos começar a ver jogos com um visual mais polido e uma experiência mais rica para o jogador.

img_android_43_jelly_bean_03

Para já apenas o Nexus 7, Nexus 4 e 10 suportam este standard, mas outros dispositivos com capacidade de processamento elevado vão começar a ser suportados à medida que a tecnologia for incorporada nas ROMs dos fabricantes de smartphones.

3) Suporte Bluetooth Smart

Uma nova gama de dispositivos Bluetooth como nunca conheceu começam a chegar ao mercado. O que os torna diferentes de seus predecessores é o suporte para Bluetooth Smart. Estes dispositivos na prática são concebidos com um funcionamento semelhante aos sensores. Por exemplo, esta norma permite por um lado que um sensor possa medir a frequência cardíaca enquanto outro possa medir os níveis de glucose no seu sangue. A par desta funcionalidade muito interessante a introdução por si só desta tecnologia permite reduções significativas no consumo da bateria.

img_android_43_jelly_bean_04

4) Acesso ao sistema de Notificações

O sistema notificações do Android é uma das funções mais populares e úteis junto dos utilizadores. Mas até à versão 4.3 os autores de aplicações da plataforma não conseguiam aceder às várias notificações do Android. Agora os programadores podem registar um serviço que se liga ao sistema de notificações do Android que, com a sua autorização, poderá processar todas as actualizações que são exibidas na sua barra de notificações. Este novo recurso pode abrir a porta a uma nova classe de aplicações “inteligentes” que permitam perceber por exemplo as preferências dos utilizadores e ao mesmo tempo ajustarem-se às mesmas.

5) Melhoria de mecanismo de Digital Rights Management (DRM)


Na verdade, o DRM é uma tecnologia que não agrada a maioria das pessoas. Muitas das vezes estas tecnologias salvaguardam os interesses dos distribuidores de conteúdo e prejudicam o consumidor final. No entanto a Google referiu que a sua estrutura de DRM está agora mais modular. Este aspecto vau permitir que os programadores da plataforma integrem mais facilmente o DRM nos seus próprios protocolos de streaming, tais como MPEG Dinamic Adaptive Streaming sobre HTTP.

Google também adicionou novos recursos DRM para programadores para proporcionar um conjunto integrado de serviços para a gestão, licenciamento e fornecimento de conteúdo, o que permite por exemplo a descodificação de dados multimédia encriptados. O intuito destas mudanças é o de facilitar a inclusão da DRM para o streaming de vídeo. Na prática a Google pretende agradar à grande indústria cinematográfica que fornece actualmente títulos disponíveis na Google Play e garantir-lhes que os seus conteúdos vão estar salvaguardados.

6) Auto Complete no Discador (Dialpad).

Um dos recursos do Android que sempre perguntámos aos nossos botões, o porquê da Google nunca ter melhorado foi o seu dialpad. Na prática ou o utilizador telefonava para os utilizadores que tinha na sua agenda, ou se quisesse ligar para os mesmos no discador, estaria com problemas. Isto exigia da parte do mesmo que introduzisse o numero completo do contacto que queria telefonar sem o Android cruzar essa informação com contactos que tinha na agenda. Não é preciso pensar muito para concluir que era um método muito susceptível a erro humano. Felizmente é uma lacuna que faz parte do passado com a nova versão e agora introduzir um número no discador nunca foi tão fácil. O discador de forma inteligente vai-se oferecer para completar o número se já existir na agenda.

smart-dialer-animated_v2

7) Introdução de suporte SELinux para uma maior segurança dos seus dados

A Google introduziu na versão 4.3 um recurso que há algum tempo está disponível em muitas distribuições de Linux onde a segurança é a principal preocupação. O SELinux (Security Enhanced Linux), é um mecanismo que permite a definição de políticas de controlo de acesso a recursos específicos do sistema operativo. Na prática o Android começa a limitar a capacidade de um sujeito (uma aplicação) de aceder ou realizar operações sobre objectos do sistema operativo (ficheiros, directórios, passwords, etc..). Isto significa que será mais difícil aplicações maliciosas terem acesso a recursos do sistema que não necessitam.

img_android_43_jelly_bean_05

Na prática este processo é uma melhoria sobre o anterior processo em que a aplicação obtia permissões baseada apenas na sua identificação e a sua assinatura (que na prática podia ser adulterada). Por essa razão a melhoria de segurança, é por si só um dos aspectos que faz com que valha a pena a actualização para a nova versão.

Outras alterações e correcções de Bugs

Existem ainda as habituais correcções de bugs que como é óbvio seriam demasiado extensivas para cobrir num único artigo. De entre as outras pequenas alterações salientamos a melhoria no mecanismo de predição de texto utilizado no teclado padrão do Android. Foi ainda adicionado ao teclado do Android suporte para os populares emoji

O utilizador de um dispositivo com android 4.3 pode notar melhorias na fluidez de navegação em vários pontos do sistema. Isto significa que eventualmente vai ter que precisar de esperar menos para que as aplicações abram, ou que resumam quando estiverem em plano de fundo. A Google referiu também em especial que trabalhou na diminuição da latência do Android, na resposta a dispositivos de entrada como os gamepads e joysticks (num claro piscar de olhos aos produtores de acessórios para jogos).

Quando é que o Android 4.3 vai chegar aos dispositivos actualmente no mercado?

Boa pergunta! Como de costume, vai depender dos fabricantes OEM de dispositivos (Samsung, HTC, LG, etc…) e da sua operadora de telecomunicações. Se não quiser esperar ou tiver a certeza que o seu dispositivo já não vai ser elegível a novas actualizações, pode sempre esperar pela comunidade de ROMs, como a CyanogenMOD ou XDA Developers “cozinhem” uma Rom para si.


2 comentários em Android 4.3 – O que há de novo?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *