Web Design Responsive e Big Data vão dar que falar em 2014

Nuno_Silva-Head_of_Innovation

A presença da IT People no Rio Info 2013, tinha como objetivo não só dar a conhecer a nossa empresa e abrir portas no mercado brasileiro, como também alargar horizontes para aquilo que se faz e vive “lá fora” na área das tecnologias de informação.

Neste evento, houve dois conceitos que foram ouvidos várias vezes e que são apontados como duas das grandes tendências para 2014: Web Design Responsive e Big Data. Tanto um como outro representam, claramente, uma resposta do mercado à evolução das tecnologias de informação.

De certo modo, podemos dizer que o Web Design Responsive nasce de uma outra tendência, uma vez que surge como consequência dos utilizadores optarem, cada vez mais, por consultarem sites nos seus tablets e smartphones, ao invés de o fazerem no computador. Assim, o Web Design Responsive vem responder a uma lacuna cada vez mais evidente: os sites da grande maioria das empresas/ marcas foram desenhados para computador e, nesse sentido, não oferecem uma visualização apelativa quando são consultados num aparelho móvel, tornando-se massudos e pouco apetecíveis a novas visitas.

Como é óbvio, a solução para esta situação não é deixar de ter um site. De facto, as empresas que não têm site (e falamos mesmo em site e não em presença online – não basta ter página no Facebook) não existem no mercado!

Já quanto se fala em Big Data está a referir-se a uma forma de analisar o mercado, forma essa que tem um impacto cada vez maior nas empresas. Trata-se de uma análise anónima ao que se passa a nível de uso e consumo da informação através da internet, que pode ser usada pelas empresas para agirem e reagirem mais eficaz e rapidamente.

Com a globalização e o modelo “just in time”, a expansão virtual tornou-se necessária. A partir da última década de 2000 houve um crescimento exponencial de dados. Este crescimento é decorrente da adesão do público em geral e das empresas à internet. Como contributo para este crescimento abrupto temos o exemplo da informação gerada pelas redes sociais, dados de GPS, dispositivos embutidos e pelas aplicações móveis presentes em Tablets e Smartphones que cada vez mais fazem parte do nosso quotidiano e estilo de vida.

A nossa plataforma Next Reality, por exemplo, encaixa neste conceito, uma vez que permite analisar o consumo associado a uma publicidade, perceber através de que dispositivo móvel foi realizado o acesso, qual a informação mais procurada e visualizada, sempre de forma totalmente anónima e com total privacidade para o consumidor.

Por outro lado, apesar da informação do Big Data ser anónima, permite às empresas ter um feedback mais concreto, preciso e real da informação disponibilizada, permitindo assim definir os próximos passos e as novas estratégias a adotar por uma empresa; e isto pode ser uma mais valia tanto no mercado B2B, como no mercado B2C.

Nuno_Silva-Head_of_InnovationArtigo de opinião de Nuno Silva, Head of Innovation, IT People Consulting

Artigo anteriorPróximo artigo
é um dos fundadores do TecheNet, juntamente com Jorge Montez.. O design é uma das suas paixões, tendo criado o estúdio Parapluie que desenvolve trabalhos de webdesign e design gráfico para os mercados brasileiro e português.

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.