Google Cultural Institute apresenta colecção de Street Art no seu arquivo de arte online

A Google Cultural Institute, um arquivo online de exposições e colecções de todo o mundo, lançou nesta terça-feira (10) uma colecção de street art, resultado de uma parceria da Google com a Galeria de Arte Urbana, disponível para todo o mundo através do Street Art Project.

De acordo com comunicado enviado à imprensa, “neste arquivo de arte online será possível analisar com detalhe todas as obras de arte, conhecer melhor as origens deste movimento urbano e ainda descobrir como se está a utilizar esta técnica para revitalizar as cidades, por exemplo na Polónia”.

Com o Street Art Project, o internauta pode fazer uma visita guiada às origens do movimento graffiti em Nova Iorque nos anos 90; apreciar a natureza global da arte urbana produzida no México, onde a tradição de pintura mural é extremamente forte; ou conhecer os primeiros passos no contexto artístico das Filipinas, onde só agora a arte urbana começa agora a florescer.

Com um acervo de mais de 5 mil exemplares de obras de arte urbana de vários países, o Street Art Project é uma iniciativa que reúne uma grande variedade de estilos e inspirações urbanas. Algumas das obras presentes neste arquivo online correspondem a “autênticas formas de expressão e ativismo político e social”. Alguns exemplos são as pinturas surrealistas dos brasileiros Os Gemeos, como também o trabalho do português Vhils.

Veja o vídeo e saiba um pouco mais sobre o projeto:

Via P3

Artigo anteriorPróximo artigo
Cláudia Assis
Jornalista, Assessora de Comunicação e Gestora de Marcas nas redes sociais, Cláudia Assis tenta definir a si mesma como "uma menina multitask". Aquariana [logo vanguardista!] e nômade por natureza, viu a sua vida ser conduzida numa viagem transatlântica rumo a Portugal. O objetivo inicial era um mestrado em Ciências da Comunicação mas, desde então, vive num enamoramento constante com a terra de Pessoa. E, assim como o poeta, ela é também muitas "pessoas". CAssis é uma delas [talvez a mais intensa] e que nada mais é que uma versão 2.0 de si mesma, um alter-ego nas redes sociais. O que “ambas” têm em comum? Falam muito. Sobre tudo e todos. Têm sempre uma opinião a dar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.