WhatsApp: plataforma pode tornar-se uma importante fonte de tráfego para os media

whatsapp-techenet-cassis

Boa parte dos conteúdos voltados para o marketing digital ainda é criado à medida para as redes sociais, especialmente Facebook e Twitter. Entretanto, uma plataforma que, até então, tem passado despercebida, poderá surgir como nova aposta para os gestores de conteúdo nas plataformas digitais: o WhatsApp, que já conta com mais de 400 milhões de utilizadores e 50 mil milhões de mensagens partilhadas todos os dias.

A partilha de conteúdo informativo é cada vez mais frequente nas milhares de mensagens enviadas todos os dias através desta aplicação, uma tendência que ganhou destaque desde que a app passou a disponibilizar, para dispositivos equipados com o sistema operativo iOS, um botão para a partilha de conteúdos.

Por exemplo: o jornal norte-americano USA Today, um dos últimos a incorporar a funcionalidade, sete dias após a implementação do botão, o WhatsApp já respondia por 18% das partilhas, à frente do Twitter (13%) e prestes a concorrer com o Facebook (34%).

Contudo, estudos indicam que alguns aspectos podem dificultar a aposta no WhatsApp: por um lado, conhecidas as complicações para a integração da app com outras aplicações; por outro, nem todos os editores podem usufruir desta plataforma, uma vez que a app é que decide (ou não!) autorizar a inclusão do botão. A funcionalidade ainda não estar disponível para a plataforma Android é outro grande risco, bem como a dificuldade em mensurar o tráfego originado pelo WhatsApp, visto que, por enquanto, apenas é possível contabilizar cliques.

Via LigateàMedia

Artigo anteriorPróximo artigo
Cláudia Assis
Jornalista, Assessora de Comunicação e Gestora de Marcas nas redes sociais, Cláudia Assis tenta definir a si mesma como "uma menina multitask". Aquariana [logo vanguardista!] e nômade por natureza, viu a sua vida ser conduzida numa viagem transatlântica rumo a Portugal. O objetivo inicial era um mestrado em Ciências da Comunicação mas, desde então, vive num enamoramento constante com a terra de Pessoa. E, assim como o poeta, ela é também muitas "pessoas". CAssis é uma delas [talvez a mais intensa] e que nada mais é que uma versão 2.0 de si mesma, um alter-ego nas redes sociais. O que “ambas” têm em comum? Falam muito. Sobre tudo e todos. Têm sempre uma opinião a dar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.