Têxteis Portugueses reforçam presença nos Balcãs

Têxteis Portugueses reforçam presença nos Balcãs

Vilnius, a capital da Lituânia é o próximo destino no roteiro internacional dos têxteis portugueses. Na Baltic Fashion & Textile, o objectivo de toda a comitiva “From Portugal” é claro: aumentar as exportações nacionais para mercados como os Balcãs, a Europa de Leste e a Rússia

Portugal não poderia faltar à chamada da Baltic Fashion & Textile, a maior feira têxtil dos estados bálticos. Entre os dias 18 e 20 de Outubro, a indústria de têxteis portugueses  – vai fazer representar-se em Vilnius, na Lituânia, com uma delegação de empresas dos vários sectores do têxtil e uma montra de produtos inovadores organizada pelo CITEVE.




Os Têxteis Portugueses na Baltic Fashion & Textile

Dilina, Familitex, Joaps, José de Abreu & Filhos, Lipaco, LMA, Myako, Solinhas e Têxteis Giestal são as empresas que partem à procura de novos contactos e oportunidades de negócio. No certame são esperados cerca de 11 mil visitantes, entre empresários, compradores, designers e jornalistas, oriundos dos vários estados dos Balcãs, mas também de várias regiões periféricas.

Entre os expositores nacionais, a Lipaco é a única veterana, num grupo recheado de estreantes. Este surgimento de novas empresas é mais uma prova do interesse crescente que os mercados bálticos têm para as exportações nacionais. “Apostamos nesta feira pelo acesso que sempre nos deu aos mercados do Báltico e à Rússia” explica Jorge Pereira, CEO da Lipaco. Em Vilnius, a empresa de Esposende especializada em fios de costura e tricotagem, espera rever os seus atuais clientes e continuar a dar novos passos no processo de internacionalizações do mercado.

Entre os expositores nacionais, a Lipaco é a única veterana, num grupo recheado de estreantesA modernização e a integração europeia dos países de leste atraem cada vez mais empresas, como é o caso da Dilina, presente pela primeira vez na Baltic. “A Lituânia e os países vizinhos são países emergentes que procuram artigos com qualidade”, afirma António Dinis, Sócio gerente da Dilina, que na Baltic vai apresentar uma colecção de lençóis, sacos de edredão e vários felpos.

Também no grupo de estreantes, a Joaps decidiu participar pela primeira vez na feira para dar um impulso às suas vendas para os mercados locais. “Atualmente já exportamos para estes mercados, mas queremos aumentar o volume de negocio na Lituânia, Noruega e Dinamarca” explica Carla Araújo, representante da empresa. Na Baltic, a empresa de Vila Nova de Famalicão vai apresentar a sua nova colecção Outono/Inverno, bem como uma selecção de malhas técnicas e funcionais, artigos orgânicos e fibras recicladas.

A Myako é outra das empresas a procurar alargar o seu portefólio. A empresa de Santo Tirso, detentora da marca de vestuário Teen Spirit, procura diversificar os seus mercados e conquistar novos clientes, especialmente nos países do Báltico e na Finlândia, duas regiões consideradas estratégicas.

Já no sector dos têxteis-lar, a Giestal Home Textiles procura atrair as atenções com uma nova colecção de roupa de cama e mantas decorativas. “Apesar de já termos alguns clientes na região, esperamos conseguir explorar as potencialidades deste mercado em expansão. “ explica Fátima Freitas, agente comercial da empresa de Guimarães, mostrando- se optimista em relação à presença da Giestal em Vilnius.

A acompanhar a comitiva empresarial “From Portugal”, será apresentado em Vilnius o ITechStyle Showcase, uma montra organizada pelo CITEVE com produtos inovadores de várias empresas têxteis nacionais:

A. Sampaio – Adalberto – Bordados Oliveira – Coltec – Envicorte – Eurobotónia – Joaps – JSB Oliveira – Lemar – Lipaco – LMA – Louropel – Lurdes Sampaio – NGS – Penteadora – Riopele – Somelos – Tintex serão as empresas representadas neste espaço.

A participação das empresas portuguesas na Baltic Fashion & Textile Vilnius é uma iniciativa promovida pela Selectiva Moda e pela ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal no âmbito do projeto From Portugal, que visa promover a internacionalização das empresas portuguesas da área da Moda.

O projeto é co-financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Compete 2020 – Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização, tendo um montante de apoio elegível de 12.118.285,17€, dos quais 6.695.352,55 € são provenientes da União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Outros artigos de que pode gostar:

TOMI ganha prémio no Global Smart Cities Contest

Lima Duarte: Um Gigante Ator, Amigo dos telespectadores

Laura Cardoso: Um Ícone da Dramaturgia do Mais Alto Nível

Artigo anteriorPróximo artigo
é um dos fundadores do TecheNet, juntamente com Jorge Montez.. O design é uma das suas paixões, tendo criado o estúdio Parapluie que desenvolve trabalhos de webdesign e design gráfico para os mercados brasileiro e português.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.