Adecco divulga Índice de Competitividade Global de Talento para 2020

Foi apresentado em Davos, no Fórum Económico Mundial o relatório anual Global Talent Competitiveness Index (GTCI) para 2020, que destaca a Inteligência Artifical (IA) no cerne da clivagem entre os países desenvolvidos e os mais pobres. 

O Global Talent Competitiveness Index (GTCI) 2020, lançado no Fórum Económico Mundial em Davos, pela Adecco, com o INSEAD e a GOOGLE, revela que a Suíça continua a liderar o mundo em competitividade de talentos, mantendo o primeiro lugar desde que o Índice foi lançado em 2013, e os EUA passam de terceiro lugar para o segundo, empurrando Singapura para baixo um lugar, em comparação com 2019. Portugal mantém a 28ª posição do ranking dos 132 países mas Lisboa, baixou quase vinte posições, baixando para 62ª do ranking de 155 cidades.

No geral, os países de altos rendimentos dominam os 25 principais e o índice mostra que esses “campeões de talentos” estão a acelerar a sua distância face ao resto do mundo. Essa divisão está a ser intensificada pelo aumento da Inteligência Artificial (IA) e pela lacuna de competências digitais associada, que emergiu entre as indústrias, os setores e as nações.

Reconhecendo essa incompatibilidade de competências e a importância de investir em capital humano, o Grupo Adecco anunciou também o seu compromisso em formar e a reciclar cinco milhões de pessoas até 2030. O impulso de capacitação será liderado pelo braço de formação e desenvolvimento do Grupo, o General Assembly, especializado em dotar indivíduos e equipas com as competências digitais mais requisitadas da atualidade, incluindo ciência de dados, codificação e capacidades de aprendizagem de automação.

Alain Dehaze, afirmou que “À medida que máquinas e algoritmos continuam a afetar uma multiplicidade de tarefas e responsabilidades e quase todos os trabalhos são reinventados, ter o talento certo nunca foi tão crítico. Hoje, robôs e algoritmos viajaram para além do nível fabril e estão a funcionar na frente das casas, no back-office e nas sedes das empresas. Em todos os níveis, os trabalhadores precisam de formação para aprimorar “capacidades humanas” por excelência – adaptabilidade, inteligência social, comunicação, resolução de problemas e liderança – que complementarão a tecnologia.”

E conclui que “Esta década será caracterizada por uma revolução de requalificação com foco nas competências de fusão’ – permitindo que humanos e máquinas trabalhem em harmonia num modelo híbrido. Com isso em mente, o Grupo Adecco compromete-se a formar e reciclar cinco milhões de pessoas em todo o mundo até 2030 – dotando os indivíduos com competências futuras que lhes permitirão prosperar na era da IA. 

O tema central do relatório GTCI 2020 é o talento global na era da IA. Notavelmente, o relatório constata que mais da metade da população no mundo em desenvolvimento não possui competências digitais básicas e que a lacuna de competências digitais está apenas a aumentar, com alguns países a progredirem muito rapidamente, enquanto a maioria do mundo em desenvolvimento fica para trás.

Olhando para as cidades, Nova Iorque lidera o ranking este ano, seguida por Londres, Cidade de Singapura, São Francisco e Boston. A posição de liderança de Nova Iorque pode ser atribuída ao seu forte desempenho em quatro dos cinco pilares medidos na pesquisa, especificamente nas categorias “Enable”, “Attract”, “Grow” e “Global Knowledge Skills”.

Geralmente, as cidades com uma capacidade comprovada de “disponibilidade futura” têm uma classificação alta, com atividades em áreas como IA, fintech e medtech, favorecendo o desempenho de talentos dos cinco primeiros. Muitas cidades estão cada vez mais a experimentarem novas ferramentas baseadas em IA, como reconhecimento facial, videovigilância e veículos autónomos. O sucesso varia entre as cidades, mas aqueles que se saem bem surgirão como hubs de IA com o pool de talentos para implementar, de forma sustentável, soluções globais.

Sobre o Índice de Competitividade Global de Talento 2020 (GTCI)

Na sua 7ª edição, o Global Talent Competitiveness Index (GTCI) é uma ferramenta anual de benchmarking que classifica os países e as principais cidades na sua capacidade de desenvolver, atrair e reter talentos. Desenvolvido em 2013 pelo INSEAD em parceria com o Grupo Adecco, o relatório fornece uma ferramenta para governos, cidades, empresas e organizações sem fins lucrativos, para ajudar a projetar as estratégias de talento, superar diferenças de talentos e ser competitivo no mercado global. O GTCI cobre parâmetros nacionais e organizacionais e gera insights para inspirar ações. O índice deste ano inclui 70 variáveis e abrange 132 países e 155 cidades, em todos os grupos de rendimentos e níveis de desenvolvimento. O GTCI é um índice composto, com base num modelo robusto de variáveis de input-output com o foco em ação, para que os responsáveis políticos e os líderes empresariais se informem e respondam às suas conclusões.

Artigo anteriorPróximo artigo
Avatar
é admirador de Steve Jobs e Elon Musk. Apaixonado por novas tecnologias, especialmente ligadas à secção de negócios empresariais e de Gadgets, acompanha de perto todas as novidade do mundo das TI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.