União Europeia vai criar regras para cloud computing

armazenamento em nuvem

A União Europeia vai estabelecer diretrizes sobre o cloud computing. O anúncio foi feito em Davos pela comissária Neelie Kroes.

A responsável pelo digital da EU  salientou que a comunidade vai debruçar-se sobre o quadro jurídico da protecção de dados e da privacidade, fundamentos técnicos e comerciais, nomeadamente em áreas como a segurança e na normalização técnica de APIs e no formato dos dados.

Ao discursar no Forum Económico Mundial, Neelie Kroes  considerou que “esta é uma situação complexa e ninguém pode ter todas as respostas. E a computação em nuvem, de alguma forma, vai acontecer de qualquer maneira”, pelo que a UE tem um papel a desempenhar: “podemos ajudar a fazer isso acontecer de forma mais suave ou rápida”.

A  Enisa (Agência Europeia para a Segurança das Redes e da Informação) publicou a 24 de Janeiro um relatório sobre segurança e resiliência na computação em nuvem governamental, que identifica um modelo de tomada de decisão para determinar como as exigências de segurança operacionais, legais e de informações, bem como o orçamento e os constrangimentos de tempo, podem dirigir a identificação da solução arquitetónica que melhor respondem às necessidades das organizações..

Artigo anteriorPróximo artigo
Jorge Montez
é um dos fundadores do TecheNet, juntamente com Alfredo Beleza. Jornalista freelance, colaborou com conteúdos multimédia para alguns dos principais mídia portugueses. Foi redator, repórter e editor de jornais nacionais. É licenciado em Ciências da Comunicação. | Google +

15 Comentários

  1. Este é o futuro, por isso tantas empresas estão correndo que nem loucos atrás das tecnologias disponíveis e investindo muito dinheiro em computação nas nuvens.

  2. Ainda tenho dúvidas sobre a computação na nuvem: onde os arquivos ficam armazenados? em algum hardware? é mais seguro que a computação convencional?

    1. A computação em nuvem utiliza a memória e a capacidade de armazenamento de computadores e servidores interligados pela net, pelo que o acesso a programas, serviços e arquivos pode ser feito a partir de qualquer lugar e a qualquer hora sem necessidade de instalação de programas nem de ocupar recursos do computador do usuário. o Windows Phone, por exemplo, oferece 25 Gigabites de armazenamento na “nuvem”

          1. OK, obrigado! E pensar que eu mal sabia o que era computação nas nuvens.

  3. Os investimentos nesta aréa avançam, rumores dizem a Apple comprou o domínio iCloud.com por US$ 4,5 mi. Este era um serviço de armazenamento em nuvem de propriedade da Xcerion, que foi recentemente rebatizado como CloudMe.

  4. Uma das empresas que anunciou que já investiu em cloud computing é a Amazon.com. Eles admitem até sacrificar parte de seus lucros para investir em novos negócios e conquistar novos clientes.Investiu pesadamente nesta área , que permite a outras empresas armazenar dados em seus servidores, para enfrentar rivais como Google e Apple.

  5. Esta e uma tendencia para o futuro, quem acredita muito nisso é o Google. Pois ja trazem muitos aplicativos que rodam diretamente no seu navegador.

  6. A computação nas nuvens é uma realidade cada vez maior nas empresas devido a basicamente a 2 fatores que são:
    1) Redução de custo com hardware.
    2) Facilidade no gerenciamento de dados, devido a facilidade em acessar os dados de qualquer lugar.

    No entanto existem ainda reservas com relação a proteção dos dados e da privacidade e esta inciativa da União Européia vai com certeza gerar idéias para que se possam aprofundar estes quesitos tão essenciais a todos nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.