YouTube anuncia serviço pago de streaming de músicas





Após onda de rumores que já dura meses, o YouTube acaba de anunciar a sua entrada no mercado de músicas por streaming, confirmando também as especulações de que pequenas gravadoras que se recusarem a aceitar seus termos de utilização terão o conteúdo bloqueado no site.

A previsão é de que o serviço comece a operar até setembro deste ano, permitindo que internautas paguem mensalidade para ouvir músicas (inclusive álbuns inteiros) sem propaganda. Com isso, o YouTube  entra disputa de terreno com os já conhecidos rivais Spotify, Deezer e Rdio.

Robert Kyncl, diretor de conteúdo e negócios operacionais do site, afirmou em entrevista ao Financial Times que “em questão de dias” o YouTube começará a bloquear vídeos de músicas, caso não se enquadrarem no formato a ser lançado, garantindo que apenas aqueles aceitarem os termos da empresa permaneçam com o conteúdo disponível.

“Há acordos com gravadoras que representam 95% do mercado”, disse Kyncl. A XL Recordings, por exemplo, está por trás de nomes como Adele e The XX, representados pela agência de direitos autorais Merlin, que se recusa a aceitar o que foi proposto pelo YouTube.

Há poucos meses, a WIN (Worldwide Independent Network), que representa várias empresas pequenas pelo mundo, divulgou uma nota criticando o YouTube por tais propostas consideradas injustas às pequenas gravadoras. A nota da WIN contém assinaturas de gravadoras em 18 países, incluindo Brasil, Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha.

Via Olhar Digital

Artigo anteriorPróximo artigo
Cláudia Assis
Jornalista, Assessora de Comunicação e Gestora de Marcas nas redes sociais, Cláudia Assis tenta definir a si mesma como "uma menina multitask". Aquariana [logo vanguardista!] e nômade por natureza, viu a sua vida ser conduzida numa viagem transatlântica rumo a Portugal. O objetivo inicial era um mestrado em Ciências da Comunicação mas, desde então, vive num enamoramento constante com a terra de Pessoa. E, assim como o poeta, ela é também muitas "pessoas". CAssis é uma delas [talvez a mais intensa] e que nada mais é que uma versão 2.0 de si mesma, um alter-ego nas redes sociais. O que “ambas” têm em comum? Falam muito. Sobre tudo e todos. Têm sempre uma opinião a dar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.