Quis ser Carnaval… e sem hesitar, lá foi a Menina!

Menina-Digital

Já lá ia quase um ano desde o primeiro convite para levar a sua prosa a outras paragens. Meses a fio de um flerte descarado entre a Menina e os “senhores da tecnologia”. E mesmo tendo a certeza do longo alcance dos seus escritos, a inquietude tão comum nas almas desassossegadas dos que ousam encantar palavras era a constante na equação nos seus dias. Era uma dúvida pequenina mas que, persistentemente, dormitava nos pensamentos da menina de alma tupiniquim. Demorou um bocado até a tomada de decisão, é verdade. E com algum receio, hesitou, é certo. Temeu não estar à altura da mais nova jornada que o destino havia posto em suas mãos. Enfim, após contas feitas e sentenças assinaladas, decidiu aceitar o desafio por pura malandragem, quase como quando ainda criança seguia o seu irmão mais velho, nas noites escuras da sua terra natal, à caça de bichos nos brejos das redondezas. Feita de fado e de frevo, ela é uma Menina que traz a prosa costurada à alma e a poesia tatuada no peito. Mas isso, eles [os tais senhores da tecnologia] já sabiam bem:

Publicidade
Loading...

“Queremos que a Menina traga as suas alegorias aos nossos dias. Então, não vens? Junta-te a nós!”, desafiaram-na.

Ela sorria sempre que relembrava aquelas palavras caras [impagáveis!], feliz da vida como uma criança que, finalmente, tinha nas mãos o brinquedo novo que já há muito almejava. O tilintar das gotas da chuva nos vidros da grande janela do seu quarto misturava-se às canções da Bethânia enquanto escrevia o que lhe ditava o coração. Como era dada aos sortilégios do destino, a Menina que tinha, então, o peito repleto de lisonja, não se fez de rogada e se deixou levar. Pegou nas suas tralhas coloridas, fez uns rabiscos e algumas fotografias, escreveu estas mal traçadas linhas e esperou que a sua escola de samba invadisse avenidas virtuais mundo a fora. Quis ser carnaval. E foi!

CAssis, a Menina Digital

Artigo anteriorPróximo artigo
Cláudia Assis
Jornalista, Assessora de Comunicação e Gestora de Marcas nas redes sociais, Cláudia Assis tenta definir a si mesma como "uma menina multitask". Aquariana [logo vanguardista!] e nômade por natureza, viu a sua vida ser conduzida numa viagem transatlântica rumo a Portugal. O objetivo inicial era um mestrado em Ciências da Comunicação mas, desde então, vive num enamoramento constante com a terra de Pessoa. E, assim como o poeta, ela é também muitas "pessoas". CAssis é uma delas [talvez a mais intensa] e que nada mais é que uma versão 2.0 de si mesma, um alter-ego nas redes sociais. O que “ambas” têm em comum? Falam muito. Sobre tudo e todos. Têm sempre uma opinião a dar.

4 Comentários

  1. Obrigada pelo carinho e pelas palavras doces de sempre, minha diva-mor. É este o meu combustível!
    Beijo transatlântico! 🙂

  2. Obrigada pela calorosa acolhida, Rui. Confesso que estou igual criança à espera da manhã de natal: ANSIOSÍSSIMA! E como tenho dito repetidamente desde o primeiro convite para me juntar à equipa Techenet, “espero bem estar à altura do convite/desafio” 😀

  3. Gostei do lado enigmático com que esta rubrica começou e por essa razão espero para ver em como se vai desenvolver 🙂 . Cláudia deixa a tua criatividade fluir aqui no Techenet.

    Beijos e sê bem-vinda à equipa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.