Se é para viver… que seja no corpo dela!

CAssis, A Menina Digital

Ritmada pela cadência de um samba imaginário, ela ia: sempre em frente era o seu caminho. O gingado do seu quadril era música aos olhos dele [menino de sorte que, ao longe, vislumbrava as curvas do corpo dela]. Não pensou duas vezes: atirou-se curva abaixo… e acima… e abaixo outra vez! Pressentiu que o Universo finalmente respondera aos seus apelos e enviara aquela que exorcizaria todos os seus fantasmas. Os medos de outrora já não dormitavam naquele enorme par de olhos sorridentes, alegres só de vê-la passar. Logo ela, por vezes bruma leve, outras tantas vezes uma força da natureza.

– “Proclame-se!” – disse ele – “É chegada a minha tempestade tropical particular, o meu carnaval fora de época: ELA!”

Compôs um samba só para ver aquele corpo remexer, serpentear diante dos seus olhos. Do fascínio que habitava aquele peito, surgira a musa. A sua pátria era o corpo dela. Era lá que ele queria morar, dia sim, outro também.

CAssis, a Menina Digital

Artigo anteriorPróximo artigo
Cláudia Assis
Jornalista, Assessora de Comunicação e Gestora de Marcas nas redes sociais, Cláudia Assis tenta definir a si mesma como "uma menina multitask". Aquariana [logo vanguardista!] e nômade por natureza, viu a sua vida ser conduzida numa viagem transatlântica rumo a Portugal. O objetivo inicial era um mestrado em Ciências da Comunicação mas, desde então, vive num enamoramento constante com a terra de Pessoa. E, assim como o poeta, ela é também muitas "pessoas". CAssis é uma delas [talvez a mais intensa] e que nada mais é que uma versão 2.0 de si mesma, um alter-ego nas redes sociais. O que “ambas” têm em comum? Falam muito. Sobre tudo e todos. Têm sempre uma opinião a dar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.