Facebook poderá permitir recursos anônimos em seus serviços

Não é segredo para ninguém que o Facebook construiu todo o seu negócio e sua fonte de renda baseado primordialmente na rejeição expressa do anonimato dos seus utilizadores. Contudo, num futuro não muito distante, a empresa poderá investir na direção contrária no que diz respeito a outros serviços para além da sua rede social.

Segundo fontes ligadas ao assunto ouvidas pelo Re/codeMark Zuckerberg estaria em negociação com a Secret, empresa responsável pela criação de uma aplicação de mesmo nome, para trabalharem juntos em novos projetos. Em resumo, a app permitirá que os utilizadores partilhem informação de forma anônima.

Embora o projeto ainda esteja numa fase embrionária, e ainda tenha alcance restrito, o assunto já é muito comentado em Silicon Valley, o que pode ter atraído a atenção de Zuckerberg. Rumores recentes confirmam que o fundador Facebook teria oferecido US$ 100 milhões (cerca de € 73 milhões /R$ 225 milhões) pela Secret, mas que o negócio havia sido negado por pessoas familiares com as conexões entre as duas empresas.

Mark Zuckerberg já havia revelado, em entrevista à Bloomberg Businessweek, que algumas apps poderão vir a aceitar login anônimo no futuro, uma mudança drástica na filosofia inicial do Facebook, a fim de se adequar aos novos tempos da internet. Aparentemente, a privacidade volta a ser valorizada com serviços anônimos de mensagens.

A expectativa é que o Facebook diversifique sua área de atuação e passe a ter uma política mais aberta a quem preferir o anonimato. Poderá não ser efetivamente na rede social, mas provavelmente alguns produtos oferecidos aos seus utilizadores. Neste caso, o Secret poderá ser um dos caminhos a se seguido por Zuckerberg e sua equipe.

Fonte: Re/code

Artigo anteriorPróximo artigo
Cláudia Assis
Jornalista, Assessora de Comunicação e Gestora de Marcas nas redes sociais, Cláudia Assis tenta definir a si mesma como "uma menina multitask". Aquariana [logo vanguardista!] e nômade por natureza, viu a sua vida ser conduzida numa viagem transatlântica rumo a Portugal. O objetivo inicial era um mestrado em Ciências da Comunicação mas, desde então, vive num enamoramento constante com a terra de Pessoa. E, assim como o poeta, ela é também muitas "pessoas". CAssis é uma delas [talvez a mais intensa] e que nada mais é que uma versão 2.0 de si mesma, um alter-ego nas redes sociais. O que “ambas” têm em comum? Falam muito. Sobre tudo e todos. Têm sempre uma opinião a dar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.