Facebook: hora de escolher quem tomará conta do seu legado na rede após a sua morte

facebook-techenet-cassis

Embora possa parecer mórbido, a rede social mais popular do mundo vai permitir que seus membros escolham alguém para gerenciar partes de suas contas na plataforma a título póstumo. O novo recurso do Facebook chama-se “Legacy Contact” e passa a valer a partir de hoje (12) nos Estados Unidos, devendo chegar a outros países em breve, segundo informações do Wall Street Journal.

Antes dessa nova funcionalidade, a empresa tinha como política “congelar” a conta de um utilizador, após ser notificada que o dono do perfil havia falecido – processo que ainda pode ser feito a partir da página “Memorialization Request“.

Mas qual a finalidade em manter uma conta na rede social após a morte? O Facebook acredita que o “Legacy Contact” permitirá a criação de uma espécie de “lápide digital” a partir do perfil do utilizador falecido.

Quem for escolhido como responsável pelo “legado virtual” poderá, dentre outras coisas, escrever uma mensagem que ficará no topo da página, aceitar pedidos de amizades, alterar a foto do perfil e, até mesmo, fazer uma cópia de fotos e publicações feitas na página (exceto das mensagens privadas).

Nos EUA, onde o recurso começa a ser disponibilizado nesta quinta-feira, os utilizadores já podem experimentar o serviço indo ao menu Settings (configurações) > Security (Segurança) > “Legacy Contact” (veja imagem abaixo). Os membros também poderão optar por ter sua presença totalmente excluída na rede social.

facebook-legacy-contact-techenet-cassis

Artigo anteriorPróximo artigo
Cláudia Assis
Jornalista, Assessora de Comunicação e Gestora de Marcas nas redes sociais, Cláudia Assis tenta definir a si mesma como "uma menina multitask". Aquariana [logo vanguardista!] e nômade por natureza, viu a sua vida ser conduzida numa viagem transatlântica rumo a Portugal. O objetivo inicial era um mestrado em Ciências da Comunicação mas, desde então, vive num enamoramento constante com a terra de Pessoa. E, assim como o poeta, ela é também muitas "pessoas". CAssis é uma delas [talvez a mais intensa] e que nada mais é que uma versão 2.0 de si mesma, um alter-ego nas redes sociais. O que “ambas” têm em comum? Falam muito. Sobre tudo e todos. Têm sempre uma opinião a dar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.