Estudo CIONET: Senior Managers são o principal entrave à mudança segundo os CIOs

A CIONET levou a cabo um estudo no seu evento anual “Digital Leadership Summit CIO CITY’16”, o qual reuniu opiniões dos 150 CIOs presentes. O objetivo era levar os presentes a refletir sobre quais os pontos de maior resistência/dificuldade nas suas organizações.

“Desafiámos os CIOs presentes com a seguinte questão: Quando se trata de implementar ideias novas na Organização, qual é a principal fonte de resistência?”, revelou Harley Lovegrove, Chairman e Sócio Fundador do Grupo Belga “The Bayard Partnership” e líder de opinião na área de Change Management.

Oriundos de várias partes do Mundo e de várias organizações, governos e negócios de diferentes tipos e dimensões, os 150 CIOs presentes foram unânimes na resposta: “A maior fonte de resistência à mudança são as equipas de Senior Managers.” Como segunda fonte de bloqueio, os CIOs apontaram as suas próprias equipas (sobretudo devido a resistências individuais, aversão ao risco, medo da mudança, entre outros…). Desta segunda conclusão, deduz-se que os CIOs estão a ter dificuldades em influenciar as suas equipas a tomar novas direções, apontando este como um dos principais desafios a ultrapassar.

“Os primeiros resultados dos dados recebidos do estudo sobre “What is blocking CIOs?”, mostram claramente que os maiores benefícios para as organizações podem não estar imediatamente ligados à implementação de novas tecnologias e aplicações por si, mas sim ao desenvolvimento de técnicas eficazes de lobby de liderança e gestão de mudança pelos CIOs nas suas Organizações”, avança Rui Serapicos, Managing Partner da CIONET Portugal.

O gráfico em anexo mostra as principais áreas de resistência identificadas.

Estudo
Estudo
Artigo anteriorPróximo artigo
é admirador de Steve Jobs e Elon Musk. Apaixonado por novas tecnologias, especialmente ligadas à secção de negócios empresariais e de Gadgets, acompanha de perto todas as novidade do mundo das TI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.