Facebook: público português ultrapassa a média mundial de acessos diários à rede social

Embora haja um movimento aparente de abandono ou redução do uso da rede social de Mark Zuckerberg em alguns mercados, Portugal parecem seguir no sentido oposto. O país apresenta uma das taxas mais elevadas de utilização diária, superior à média mundial: 69,3% dos portugueses vão ao Facebook todos os dias, enquanto a média mundial é de 63%.

Dados divulgados hoje (18) pela empresa sobre a utilização da plataforma, são 4,9 milhões de portugueses que vão à rede social pelo menos uma vez por mês, sendo que destes, cerca de 3,4 milhões visitam a sua página no Facebook todos os dias. E mais de metade (56%) o faz a partir de um dispositivos móveis.

Mais de metade dos utilizadores portugueses usam dispositivo móvel (foto: Reuters)
Mais de metade dos utilizadores portugueses usam dispositivo móvel
(foto: Reuters)

Ainda em 2012, quando cotado pelo Nasdaq, a estratégia para o mobile era uma das potenciais fragilidades da rede social. Contudo, os números indicam que Zuckerberg conseguiu dar a volta às previsões mais negativas. Só no primeiro trimestre de 2014, a empresa reportou uma subida de 82% da publicidade no Facebook móvel.

Para Paulo Barreto, Country Manager do Facebook em Portugal, “a procura por parte dos anunciantes de uma solução que lhes permita chegar de forma pessoal e personalizada aos utilizadores a qualquer hora do dia, qualquer dia da semana, é hoje bem visível no mercado português”.

Via Dinheiro Vivo

Artigo anteriorPróximo artigo
Cláudia Assis
Jornalista, Assessora de Comunicação e Gestora de Marcas nas redes sociais, Cláudia Assis tenta definir a si mesma como "uma menina multitask". Aquariana [logo vanguardista!] e nômade por natureza, viu a sua vida ser conduzida numa viagem transatlântica rumo a Portugal. O objetivo inicial era um mestrado em Ciências da Comunicação mas, desde então, vive num enamoramento constante com a terra de Pessoa. E, assim como o poeta, ela é também muitas "pessoas". CAssis é uma delas [talvez a mais intensa] e que nada mais é que uma versão 2.0 de si mesma, um alter-ego nas redes sociais. O que “ambas” têm em comum? Falam muito. Sobre tudo e todos. Têm sempre uma opinião a dar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.