Tecnologia da linha de gol: a nova “queridinha” da FIFA

Por Francois-Xavier Marit/AFP Photo

Depois de ser utilizados durante os jogos do Mundial de Futebol deste ano, realizado no Brasil, a FIFA considerou um sucesso o recurso à tecnologia na linha de gol e, em alguns casos, fator decisivo para a decisão do árbitro responsável pela partida.

Em comunicado divulgado no site oficial, a FIFA ressalta que o uso desta tecnologia foi essencial, por exemplo, para validar a segunda tentativa da França no jogo conta a seleção da Honduras (3-0), tornando-se no primeiro “gol tecnológico” da história dos Mundial. Ainda segundo a FIFA, os espectadores que acompanharam os jogos ao vivo também foram beneficiados, visto que assistiram quase de imediato às repetições de lances duvidosos.

A tecnologia utiliza sete câmeras em cada baliza e juntas permitem uma monitorização em três dimensões. Sempre que a bola cruza a linha do gol, as câmeras detectam-na, emitindo imediatamente um aviso para o relógio usado pelo árbitro da partida. A FIFA relembra ainda “que a tecnologia que já havia sido usada em três competições anteriores e que provou o seu valor, mais uma vez, no maior palco de todos”.

Via O Jogo

Artigo anteriorPróximo artigo
Cláudia Assis
Jornalista, Assessora de Comunicação e Gestora de Marcas nas redes sociais, Cláudia Assis tenta definir a si mesma como "uma menina multitask". Aquariana [logo vanguardista!] e nômade por natureza, viu a sua vida ser conduzida numa viagem transatlântica rumo a Portugal. O objetivo inicial era um mestrado em Ciências da Comunicação mas, desde então, vive num enamoramento constante com a terra de Pessoa. E, assim como o poeta, ela é também muitas "pessoas". CAssis é uma delas [talvez a mais intensa] e que nada mais é que uma versão 2.0 de si mesma, um alter-ego nas redes sociais. O que “ambas” têm em comum? Falam muito. Sobre tudo e todos. Têm sempre uma opinião a dar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.