Índice de Interconexão Global: Conectividade privada cresce mais 10x do que Internet

Índice de Interconexão Global: Conectividade privada cresce mais 10x do que Internet

O estudo Índice de Interconexão Global vem comprovar que o sucesso no mundo dos negócios digitais está intimamente relacionado com a adoção da Interconexão por parte das empresas.

A transformação digital está a acontecer de forma acelerada em todas as empresas, de todos os setores, em todo o mundo. Como parte dessa transição necessária, as pessoas, o software e as máquinas estão a gerar e a consumir dados mais rapidamente e de forma mais distribuída do que nunca, empurrando as organizações para a adoção da Interconexão privada e direta, como forma de resolução dos seus complexos desafios em matéria de integração.




Segundo o mais recente Índice de Interconexão Global (GXI) – um estudo de mercado anual publicado pela Equinix, que analisa o intercâmbio global de tráfego de dados – a Interconexão, considerada como a troca de dados de forma privada e direta entre as empresas e os seus parceiros de negócio, está a tornar-se o método ideal para as organizações operarem no mundo digital de hoje. A largura de banda da Interconexão deverá superar, em 2021, os 8.200 Terabits por segundo (Tbps), ou o equivalente a 33 Zettabytes (ZB) de troca de dados por ano, um aumento dramático em relação à projeção do ano anterior e representando quase dez vezes o crescimento projetado do tráfego da Internet (1). Isto representa uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 48%, quase o dobro do CAGR esperado (de 26%) do tráfego IP global.

Portugal, com a sua privilegiada localização geográfica, está em excelente posição para poder aproveitar esta tendência de crescimento acelerado, permitindo que as empresas nacionais tirem todo o partido dos benefícios da Interconexão, acedendo de forma imediata às principais rotas internacionais de dados. É a partir de Lisboa que a Equinix fornece acesso direto a cabos submarinos como o WACS (Sistema de Cablagem da África Ocidental), ACE (Costa Africana da Europa), Tata Global Network e Main One, entre outros, que potenciam ligações digitais rápidas, diretas e seguras entre a Europa, América e África.

“Muitas tendências macroeconómicas, tecnológicas e regulatórias estão a convergir, criando uma era sem precedentes em termos de complexidade e risco, forçando a integração dos mundos físico e digital”, afirmou Sara Baack, diretora de marketing da Equinix. “Esta segunda edição do Índice de Interconexão Global concluiu que as empresas estão a adotar a Interconexão para se ligarem diretamente aos seus principais parceiros de negócio, de modo a endereçarem os seus crescentes requisitos digitais, uma vez que as formas tradicionais de conectividade não atendem aos exigentes requisitos dos negócios nos dias de hoje.”

“A adaptação das empresas à era digital obriga-as a encarar muitos desafios – especialmente face à congestão da Internet pública, que já não garante a eficiência e segurança dos negócios – mas apresenta também novas oportunidades para as organizações”, considerou por seu turno Carlos Paulino, Diretor-geral da Equinix em Portugal. “Para colmatar as deficiências da Internet pública, as empresas estão a recorrer crescentemente às soluções de Interconexão, que garantem a conectividade privada, eficiente e segura com os seus parceiros, funcionários e clientes. Temos um ótimo feedback por parte dos nossos clientes, para quem a Interconexão desempenha um papel fundamental no desenvolvimento e crescimento dos seus negócios”.

As tendências que impulsionam o crescimento

Entre as principais tendências macroeconómicas, tecnológicas e regulatórias, que impulsionaram o crescimento da Interconexão no ano passado e terão impacto no seu desenvolvimento futuro, destacamos as seguintes:

Digital Business Transformation, que impulsiona a necessidade de suportar interações em tempo real entre pessoas, coisas, locais, nuvens e dados, de modo a permitir a captação de valor. Pelo menos 50% do PIB mundial estará digitalizado até 2021, com o crescimento em todos os setores a ser impulsionado por vendas, operações e relacionamentos potenciados pelo digital (2).

Risco de segurança cibernética, que expande o uso da Interconexão, à medida que as empresas mudam cada vez mais para soluções privadas de tráfego de dados, para contornar a Internet pública e mitigar as ameaças digitais à sua atividade. As violações de cibersegurança em larga escala são um dos riscos mais sérios que o mundo enfrenta atualmente, e a amplitude da ameaça está a expandir-se drasticamente. Até 2021, o custo global das violações de segurança cibernética deverá atingir os 6 triliões de dólares (3).

Ecossistemas de negócio, que estão a registar um aumento no mix de clientes, parceiros e funcionários e exigem ecossistemas digitais e Interconexão em larga escala. Até 2021, irão duplicar as organizações que usam um mix de intermediários, e o relacionamento ativo com empresas fora da indústria nativa da organização deverá quase triplicar (4).

Para reter valor digital, as empresas precisam de suportar interações em tempo real, que interliguem estrategicamente os fluxos de trabalho entre pessoas, coisas, locais, nuvens e dados. A segunda edição do GXI – Índice de Interconexão Global – identifica quatro classes de casos de uso de Interconexão (5), juntamente com um modelo de maturidade de TI. Quando combinados, estes casos de uso permitem criar uma infraestrutura preparada para os negócios de hoje:

  • Network optimization, para encurtar a distância entre utilizadores e aplicações de serviços.
  • Multicloud híbrida, para conectar e segmentar tráfego entre múltiplas nuvens e a infraestrutura privada.
  • Segurança distribuída, para implementar e interconectar controlos de segurança em pontos de conexão digital.
  • Dados distribuídos, para implementar e interconectar a analítica de dados próximo dos utilizadores.

“Com a Equinix, a interconexão com provedores de serviços fica mais facilitada, devido ao número de fornecedores disponíveis, aumentando a disponibilidade de TI, permitindo que todos os funcionários do Ministério tenham acesso às nossas plataformas, onde quer que estejam e sempre que precisem”, afirmou Nuno Fonseca, Diretor do Departamento de Serviços de Suporte da IGFEJ. “Por meio da conectividade privada, garantimos a disponibilidade total, mas de forma controlada, dos dados que manipulamos, assegurando igualmente os padrões de segurança que correspondem às informações críticas com as quais trabalhamos. Fazendo uso de uma arquitetura de TI distribuída, conseguimos aumentar com segurança o fluxo de dados entre a Administração, os funcionários públicos e os cidadãos portugueses”.

“O Instituto de Informática, I.P. utiliza a Plataforma Equinix para dar suporte à consolidação da sua infraestrutura a nível nacional e fornecer acesso a aplicações da Segurança Social em Portugal. Ao adotarmos a Plataforma Equinix, conseguimos otimizar a nossa infraestrutura num centro de dados central, garantindo desempenho, agilidade e segurança. Num futuro próximo, com a crescente adoção de serviços Cloud, planeamos expandir as interconexões existentes, estabelecendo ligações diretas aos provedores desses serviços, garantindo velocidade e fiabilidade no uso da Cloud pública”, considerou por seu turno Carlos Amado, Diretor do Departamento de Administração de Sistemas do Instituto de Informática.

Factos em destaque

  • O GXI – Índice de Interconexão Global –  fornece uma visão panorâmica sobre o crescimento da largura de banda de interconexão nas diferentes regiões do mundo.
    • Estados Unidos: Sendo um mercado early adopter dos negócios digitais e sede do maior número de empresas multinacionais, espera-se que os Estados Unidos registem um crescimento composto de 45% ao ano, contribuindo com mais de 40% da largura de banda de Interconexão a nível global.
    • Europa: Um crescente número de regulamentações que exigem conformidade de dados está a servir como catalisador do crescimento na Europa, que deverá chegar aos 48% ao ano, contribuindo com 23% da largura de banda de Interconexão em termos globais.
    • Ásia-Pacífico: Atravessando um período de rápida urbanização e surgindo como lar de muitos dos maiores provedores de conteúdos digitais, a região Ásia-Pacífico deverá crescer 51% ao ano, contribuindo com mais de 27% da largura de banda de Interconexão a nível mundial.
    • América Latina: Apresentando uma dinâmica de mercado emergente, com uma crescente adoção dos negócios digitais, a América Latina deverá ter um crescimento de 59% ao ano, contribuindo com mais de 9% da largura de banda de Interconexão a nível global.
  • O Índice de Interconexão Global também prevê o crescimento da largura de banda de Interconexão entre contrapartes. Por exemplo, a Interconexão entre Empresas, Cloud e Provedores de TI deverá crescer 98% ao ano até 2021, suportando negócios que criam novos serviços digitais e migram cargas de trabalho existentes para plataformas Cloud de terceiros.

“As empresas vão delineando o seu rumo para uma maior digitalização, tentando evitar a turbulência gerada pela integração complexa de serviços digitais. As novas arquiteturas ancoradas na Interconexão suavizam essa complexidade e, cada vez mais, as empresas estão a descobrir que elas também produzem melhorias em questões de segurança, desempenho e capacidade”, explicou Eric Hanselman, Analista Chefe na 451 Research. “O Índice de Interconexão Global da Equinix fornece informações úteis sobre estas tendências digitais, explicando por que razão as empresas estão a ligar-se diretamente aos seus parceiros estratégicos para construir os seus ecossistemas de negócios digitais.”

Sobre o Índice de Interconexão Global

O Global Interconnection Index, publicado anualmente pela Equinix, fornece insights que potenciam as vantagens dos negócios digitais, detetando, medindo e prevendo o crescimento da largura de banda de Interconexão – capacidade total provisionada para o intercâmbio de dados de forma privada e direta entre um conjunto diversificado de parceiros e provedores. Tão crucial como a adoção da Interconexão é saber como os negócios digitais são conduzidos – e isto nunca tinha sido quantificado. O Índice de Interconexão Global é, assim, pioneiro ao avançar com projeções sobre o crescimento e o acesso à Interconexão até 2021. O relatório serve como linha de base do mercado, que analisa o perfil de implementação de milhares de participantes deste ecossistema que recorrem a provedores neutrais de colocation data center. Estes dados foram combinados com informações de mercado locais e regionais (incluindo tendências macroeconómicas, demografia dos mercados e concentração de setores) e com os principais impulsionadores da procura de negócios digitais, de modo a formar um multiplicador ponderado para auxiliar na previsão do crescimento dos negócios digitais. Uma descrição detalhada da metodologia está incluída no Índice de Interconexão Global, veja aqui.




Recursos adicionais

 

  • www.IOAKB.com [comunidade aberta de conhecimento sobre Interconexão]

 

 

Notas

(1) Cisco – “Visual Networking Index”, 2017

(2) IDC FutureScape: Worldwide IT Industry 2018

(3) Cybersecurity regained: preparing to face cyber-attacks, EY, 2017

(4) Capitalizing on Your Business Ecosystems Economy: Gartner, 2017

(5) As quatro classes de casos de uso de Interconexão foram desenvolvidas através da análise de mais de 1.800 implementações do setor em todo o mundo, estão documentadas na Base de Conhecimento da IOA® e foram validadas por profissionais de TI e especialistas do setor.

 

Sobre a Equinix

A Equinix, Inc. (NASDAQ: EQIX) interliga os principais negócios do mundo aos seus clientes, colaboradores e parceiros, através dos mais interconectados Data Centers. Presente em 52 mercados a nível global, a Equinix é o ponto de encontro das empresas que procuram novas oportunidades e pretendem acelerar as suas estratégias de negócio, TI e Cloud. www.equinix.com

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.