Redes sociais: evite os perigos e garanta a sua segurança

redes sociais

A Check Point aponta como as redes sociais são um componente essencial no nosso dia-a-dia, não apenas para uso particular, mas também as empresas entendem a necessidade de estar presente na internet e nas redes sociais para chegar ao consumidor. Não obstante, segundo o estudo da IAB, 85,5% dos utilizadores da internet entre os 16 e os 65 anos utiliza as redes sociais. Estes dados, juntamente com a quantidade massiva de dados e informação que os utilizadores inserem nos seus perfis, faz com as redes sociais se tenham convertido num dos principais objetivos dos cibercriminosos nos últimos tempos.

De facto, nos últimos meses temos visto como têm ocorrido invasões de contas de Whatsapp, de figuras conhecidas, bem como a invasão de contas de Twitter. “É inegável que as redes sociais desempenham um papel fundamental na nossa vida por toda a informação que contém, por tudo o que representam para os utilizadores e as consequências que um ataque pode ter. Por este motivo, é imprescindível pôr em prática estratégias básicas de segurança para evitar sermos vitimas de ciber ataques e, assim, proteger a nossa privacidade.”, refere Eusebio Nieva, director técnico da Check Point para Espanha e Portugal.

Ciente deste facto, a empresa assinala os pontos chave para estar protegido na rede e evitar ataques contra os perfis nas redes sociais:

  • Estabelecer palavras-chave fortes: um dos primeiros níveis de segurança consiste em criar uma palavra passe robusta que dificulte aos ciber criminosos a possibilidade de a decifrar. Para isto, é necessário deixar de lado os nomes, datas e palavras comuns. Em vez disto, é recomendado criar palavras-passe de oito caracteres que combine letras (maiúsculas e minúsculas), números e símbolos. Contudo, é fundamental evitar utilizar a mesma palavra-passe nos vários perfis, assim como partilhá-la com qualquer pessoa (incluindo aqueles em quem se confia), nem guardá-la no navegador, pois em caso de perda do dispositivo com o qual acede ao seu perfil, qualquer pessoa teria ‘’a porta aberta’’ para entrar na conta de outro utilizador. “Apesar de ser um nível básico de segurança, é frequente que não se tenha a atenção necessária, e por isso, continua a ser um dos pontos mais fracos em termos de segurança”, assinala Eusebio Nieva.
  • Configurar as opções de privacidade: além da palavra-passe, que é um nível primário, as redes sociais oferecem as suas próprias medidas de segurança, as quais se podem configurar ao gosto do utilizador. Porém, é frequente que os utilizadores apenas dediquem tempo mínimo a esta prática, ou até a ignorem, não tirando assim o máximo partido das ferramentas de proteção que têm à sua disposição. Reduzir o grau de visibilidade do seu perfil, segmentar e limitar o acesso a conteúdo por outros utilizadores, são só algumas das opções disponíveis e que oferece uma garantia de segurança contra roubo de dados. Além disso, apenas é necessário apenas alguns minutos para estabelecer estas opções, pelo que é um processo rápido, sendo um ponto bastante rápido e que convida a realização desta ação.
  • Desconfie dos links: descontos, promoções, prémios… que circulam nas redes sociais e são partilhadas milhões de vezes, que nos levam a outra página web fora das redes sociais. Muitos desde links escondem malwares, pelo que antes de fazer click é imprescindível rever e avaliar o remetente e o próprio link em busca de sinais que indicam que não é de confiança. Neste sentido, um exemplo claro é dado com as palavras com erros ortográficos, na ordem errada das letras (Amaozn) ou a troca de uma letra por outro símbolo (Amaz0n).  Em caso de dúvida, o melhor é mesmo não carregar no link para evitar maiores danos.
  • Evitar dar acesso a outras apps: é muito provável que as redes sociais que temos instaladas nos nossos smartphones nos peçam permissão para aceder aos nossos dados de alguma outra aplicação associada. Um exemplo claro disto consiste em aceder a um site utilizando o perfil do Facebook. Isto é algo bastante perigoso, já que muitas vezes os ciber criminosos estão à espreita e personificam uma página web para obter os nossos dados de forma simples e rápida. Portanto, antes de autorizar o acesso e uso da nossa informação, é imprescindível ler atentamente os termos e condições de uso.

“O pilar fundamental de uma estratégia de ciber segurança em geral, e nas redes sociais em particular, é o senso comum.”, enfatiza Eusebio Nieva. “Na Check Point esforçamo-nos por recordar aos utilizadores da internet que a precaução é a melhor companheira na hora de navegar na Internet e utilizar os seus perfis nas redes sociais, pois a maioria dos ataques de malware requerem que a cumplicidade do utilizador para serem efetivos. Portanto, duvidar ao menor sinal de alerta é uma das melhores barreiras de segurança”, conclui Nieva.

Artigo anteriorPróximo artigo
Avatar
Nilton é um entusiasta das novas tendências tecnológicas e do impacto que estas têm nas organizações e no nosso dia a dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.