Detenção do presidente da Google Brasil decretada por juiz brasileiro

Detenção do presidente da Google Brasil decretada por juiz brasileiro

Um juiz regional, do tribunal eleitoral de Mato Grosso do Sul, ordenou a detenção de Fabio Jose Silva Coelho, presidente da Google Brasil, depois da empresa não retirar do ar alguns vídeos do You Tube.

De acordo com o o juiz Flavio Peren, os vídeos em questão não respeitam a lei eleitoral brasileira e são insultuosos para um candidato que concorre a uma eleição para Prefeito.

A ordem para a remoção dos vídeos foi emitida na semana passada, no entanto o Google recusou-se a cumpri-la, alegando que não é responsável pelos vídeos que são publicados no You Tube.

Segundo a imprensa brasileira, os vídeos publicados dão a entender que um candidato a prefeito na cidade de Campo Grande – Alcides Bernal – é culpado de cometer alguns crimes.

Uma vez que a ordem emitida pelo tribunal não foi cumprida, o juiz decretou a prisão, do presidente da Google Brail, na passada segunda-feira.

De acordo com um porta-voz da agência Reuters, a Google vai recorrer da decisão judicial.

A empresa já tinha alegado que a internet deve ser um espaço que permita a expressão livre das opiniões dos eleitores em relação a candidatos a cargos públicos.

Não é a primeira vez que a responsabilidade da Google na divulgação de conteúdos, considerados sensíveis, é posta em em causa. Um dos casos mais recentes é o do vídeo anti-islã “ Inocência dos Mulçumanos”, que foi o estopim para o desencadear violentos protestos no Médio Oriente e norte de África.

Fonte: BBC

Artigo anteriorPróximo artigo
é um dos fundadores do TecheNet, juntamente com Jorge Montez.. O design é uma das suas paixões, tendo criado o estúdio Parapluie que desenvolve trabalhos de webdesign e design gráfico para os mercados brasileiro e português.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.