Facebook: NOVO estudo indica que o público jovem NÃO abandona a rede social





Neste último ano, muitas pesquisas e notícias na imprensa internacional têm apontado para o declínio do Facebook, com indicações de que a plataforma estaria sendo abandonada maciçamente pelo público mais jovem. Contudo, uma pesquisa divulgada pelo Instituto Forrester Research aponta no sentido oposto: a rede social de Mark Zuckerberg matém-se, com larga vantagem, como a mais popular entre os jovens norte-americanos.

De acordo com Nate Elliott, analista da Forrester, “mais de três quartos dos internautas jovens estão no Facebook – o dobro dos que estão no Pinterest, no Tumblr ou no Snapchat ”. Dos que utilizam o Facebook, 28% “está sempre ligado”, percentagem superior à de qualquer outra das redes sociais averiguadas no estudo.

fotoototot
Os mais jovens entre os inquiridos (com 12 e 13 anos) asseguram que a utilização do Facebook tem vindo a aumentar.

O estudo que acaba de ser divulgado contradiz outras pesquisas de institutos conceituados que indicavam o abandono do Facebook pelo público mais jovem, dando preferência a serviços mais privados, como o Snapchat e o WhatsApp.

Ainda em outubro do ano passo, o próprio Facebook admitiu uma quebra no número de utilizadores diários entre os jovens. A partir disso, surgiram vários estudos sobre o tema – enquanto uns indicavam que o abandono era mais grave do que o anunciado, outros refutavam a informação avançada pela própria rede social.

Via Liga.teàMedia

Artigo anteriorPróximo artigo
Cláudia Assis
Jornalista, Assessora de Comunicação e Gestora de Marcas nas redes sociais, Cláudia Assis tenta definir a si mesma como "uma menina multitask". Aquariana [logo vanguardista!] e nômade por natureza, viu a sua vida ser conduzida numa viagem transatlântica rumo a Portugal. O objetivo inicial era um mestrado em Ciências da Comunicação mas, desde então, vive num enamoramento constante com a terra de Pessoa. E, assim como o poeta, ela é também muitas "pessoas". CAssis é uma delas [talvez a mais intensa] e que nada mais é que uma versão 2.0 de si mesma, um alter-ego nas redes sociais. O que “ambas” têm em comum? Falam muito. Sobre tudo e todos. Têm sempre uma opinião a dar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.