Seresco sublinha importância de uma nova gestão de talentos nas empresas

Nos tempos que correm, são muitos os desafios das empresas, diz a Seresco, empresa que atua na área de processamento salarial e software proprio para a área de Recursos Humanos. A especialista divulgou recentemente aqueles que são os desafios dos departamentos de Recursos Humanos, sendo um dos maiores: os talentos.

Diz a Seresco que não basta ter talento ou capturá-lo, mas a chave será encontrar o aspeto que torna esse talento num membro envolvido na sua equipa, no core business e estratégia da sua empresa. E para isso, além das competências humanas e da empatia, o uso de tecnologias de análise de dados que acompanham na tomada das decisões mais estratégicas para a empresa, será essencial.

Por outro lado, há uma nova realidade a considerar hoje em dia, diz a Seresco, na área de Recursos Humanos: a geração Z chega ao mercado de trabalho, a meio de uma crise de saúde. Em relação a esses jovens, podem ser uma das gerações com maiores traumas como resultado da pandemia. A análise do futuro dessa geração nos ambientes de trabalho, segundo estudo do Pew Research Center, baseia-se em três aspetos, fundamentais, a ter em conta:

Desenvolvimento de competências: estes jovens continuaram a estudar em condições limitadas, confinados, a viverem com mais pessoas em ambientes que nem sempre propiciam a concentração. Os efeitos dessa estranha realidade certamente terão custos para o seu futuro. A paciência e a orientação são essenciais para a integração bem-sucedida no trabalho.

Gestão de stress: a geração Z experimenta níveis mais altos de ansiedade e depressão do que as outras gerações. A situação da crise de saúde só vai agravar esse problema. Portanto, o envolvimento da empresa e do departamento de recursos humanos no bem-estar físico, mental e emocional dos seus colaboradores será um pilar fundamental para a sua boa adaptação ao trabalho.

Desenvolvimento de inteligência emocional: o desenvolvimento de programas e iniciativas de gestão de inteligência emocional será essencial. Espera-se que os jovens pertencentes à geração Z tenham maior capacidade de empatia, adaptação e flexibilidade do que as gerações anteriores.

O que está claro é que a gestão de talentos na Era pós-COVID-19 não será uma tarefa fácil nos departamentos de recursos humanos. Será necessário ter em mente todos os casos que surgiram da situação de crise de saúde na configuração da sua equipa atual e, a pensar nos próximos anos, a sua futura equipa, um grupo de pessoas destinadas a liderar a médio e longo prazo, para que seja uma empresa que, em condições melhores ou piores, sairá alterada a partir deste momento incomum.

Artigo anteriorPróximo artigo
Avatar
é admirador de Steve Jobs e Elon Musk. Apaixonado por novas tecnologias, especialmente ligadas à secção de negócios empresariais e de Gadgets, acompanha de perto todas as novidade do mundo das TI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.