Saiba quais são os diferentes tipos de malware que existem

Saiba quais são os diferentes tipos de malware que existem

Saiba quais são os diferentes tipos de malware que existem

Que o malware cresce, ameaça e é cada vez mais perigoso já todos sabemos. As soluções de segurança são necessárias para proteger os diferentes dispositivos que utilizamos diariamente e o malware é a principal ameaça que afecta o nosso computador, smartphone ou tablet. Mas saberemos realmente o que é o malware? Os analistas da Kaspersky Lab compilaram uma classificação dos diferentes tipos de malware que existem, para que possamos entender as suas diferenças.

Vírus: Os vírus informáticos são um tipo de código auto-replicante que se instala sem o consentimento do utilizador. Podem ser diferenciados de acordo com o que infectam, os métodos que utilizam para seleccionar o objecto e as técnicas de ataque. Podem aparecer em forma de anexos em mensagens de email ou como links maliciosos que se descarregam da Internet (e infectam o sistema operativo de múltiplas formas). Hoje em dia, os vírus já não são tão frequentes porque os cibercriminosos querem ter um maior controlo sobre a distribuição do malware; de contrário, os novos tipos de vírus cairiam rapidamente nas mãos dos fabricantes de soluções de segurança.


Worms: os worms são uma subclasse de vírus, já que também são programas auto-replicantes. Diferem dos vírus na medida em que não infectam ficheiros existentes, mas antes se instalam directamente nos computadores e ali ficam “em repouso” até que chegue o momento adequado para penetrar noutros sistemas, através, por exemplo, de redes vulneráveis. Como os vírus, os worms também infectam via email através de mensagens instantâneas ou da partilha de ficheiros. Alguns worms informáticos são eles próprios ficheiros, enquanto outros só residem na memória do equipamento.

Trojans: Diferem totalmente dos vírus e dos worms. Os Trojans parecem programas legítimos mas estão desenhados para atacar. O nome procede do cavalo de Tróia da antiga Grécia, porque se disfarçam de programas úteis para o utilizador, mas têm funções destrutivas. Os Trojans não são auto-replicantes, pelo que só por si não se difundem, embora cheguem a um grande número de utilizadores através da Internet. Existem vários tipos, como os Trojans Backdoor (que querem tomar o controlo remoto dos computadores das vítimas) e os Trojans Downloader (que instalam códigos maliciosos).

Ransomware: foi exclusivamente concebido para extorquir as suas vítimas e conseguir dinheiro. Para isso, informa os utilizadores que têm um software pirateado ou que visualizaram vídeos ilegais, para que assim reajam de forma assustada e precipitada ao aviso e paguem uma “multa”. A variante mais perigosa é a que chega a encriptar os nossos ficheiros, impedindo-nos de aceder a eles a não ser que paguemos um resgate.

Rootkit: Hoje em dia, os Rootkit são uma parte especial do malware, já que foram feitos especificamente para que nem o utilizador nem a solução de segurança se inteirem da sua presença no sistema. Alguns chegam mesma a activar-se antes do arranque do sistema operativo (este rootkit chama-se Bootkit), tornando muito difícil tanto a sua detecção como eliminação.

Backdoor (RAT): Este malware, conhecido em inglês como “Remote Administration Tools”, é uma aplicação através da qual os cibercriminosos podem aceder ao computador sem que o utilizador se aperceba disso. Dependendo das funcionalidades dos backdoor, os hackers podem instalar e lançar outros programas, enviar keyloggers, descarregar ou apagar ficheiros, activar os microfones ou a câmara do dispositivo ou registar a actividade do computador e enviá-la ao cibercriminoso.

Downloader: são pequenas peças de código que servem para descarregar código malicioso de todo o tipo no sistema da vítima a partir do servidor do cibercriminoso.

Para os analistas da Kaspersky Lab, conhecer as características de cada tipo de malware ajuda-nos a proteger os nossos dispositivos de possíveis danos futuros. É importante contar com uma solução de segurança robusta que seja capaz de defender-nos de todos os possíveis ataques de malware, independentemente do dispositivo que utilizemos.

Artigo anteriorPróximo artigo
é um dos fundadores do TecheNet, juntamente com Jorge Montez.. O design é uma das suas paixões, tendo criado o estúdio Parapluie que desenvolve trabalhos de webdesign e design gráfico para os mercados brasileiro e português.

13 Comentários

  1. Tenho um vírus no meu PC que o tornou lento e “picotado” ( intermitente) quando quero abrir Video.
    Mesmo ao tentar implantar um anti virus tal como; AVIRA ele bloqueia imediatamnete.
    COMO RESOLVO ISSO. GRATO.

    1. Bom dia José,

      A melhor forma para acabar de vez com o vírus é formatar o PC, claro que depois deve instalar um bom antivírus. No entanto, por melhor que seja o software contra malwares que utilizar, nenhum deles garante 100% de segurança.

  2. Recomendo o Antivirus da Bitdefender ou da Kaspersky, para mim são os melhores. Não são gratuitos, mas garantem uma boa proteção.

  3. Impõe-se a utilização de bons mecanismos de proteção e, além disso, é fundamental respeitar as noss práticas fé segurança. Navegar em sites seguros, não abrir mensagens e anexos enviados por desconhecidos e fontes duvidosas, ter sempre os softwares atualizados e etc. Mesmo assim nada garante que estamos protegidos, mas, pelo menos, minimizamos os possíveis danos.

  4. Temos que criar um cofre digital ou deixar de utilizar as novas tecnologias, mesmo assim não sei se estamos protegidos.

  5. Excelente artigo!!! A informação é útil e esclarecedora, mas na realidade Mem a melhor solução de segurança nos deixa protegidos, até os governos nos espiam.

  6. Não sábia que existiam tantas variáveis, só conhecia vírus e trojans. Boa informação Alfredo Beleza

  7. As ameaças digitais crescem cada vez mais e cada vez são mais sofisticadas. Ninguém está completamente seguro, mesmo seguindo as melhores regras de segurança não estamos a salvo… Que mundo é este?

  8. São tantas as diferenças que até fico assustada… Já agora aproveito para perguntar qual é, na sua opinião, o melhor software Antivirus. Obrigado!

  9. Bom dia Alfredo, gostei muito deste artigo , se me permite sugestão, deveria dar continuidade criando uma lista com os melhores anti-malabares. Tenho a certeza que seria muito útil a todos os leitores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.