75% da geração Z acredita que o COVID-19 levará a novas oportunidades de carreira

A Adecco divulgou algumas reflexões sobre a Geração Z, os jovens entre os 13 e os 17 anos de idade, num momento em que o mundo mudou, de forma a entender melhor como será o futuro do trabalho.

De acordo com uma nova pesquisa da Cassandra, especialistas neste segmento mais jovem do mercado, num universo de 1.000 jovens entre 13-17 anos, o resultado revela que a Geração Z sente-se otimista em relação ao futuro – e isto apesar do COVID-19! 75% dos inquiridos acreditam que serão criadas novas carreiras profissionais como resultado da COVID-19, enquanto outros 66% acreditam que a sua geração será mais propensa a trabalhar como freelancer do que as gerações anteriores. Destes, quase metade (45%) não esperam mudar os seus planos de carreira devido à pandemia, mas cerca de um terço (34%) acreditam que o COVID-19 vai baixar os seus rendimentos ao longo da sua vida.

No que diz respeito aos planos de vida em geral, a geração mais nova não parece ter sido muito afetada pelos últimos meses. 73% disseram sentir que a pandemia não afetará negativamente o seu sucesso nem a sua felicidade.

A geração-Z é trabalhadora, focada nos seus objetivos e imensamente prática – não tão diferente dos Boomers antes deles. E, tal como os Boomers, estão a chegar à maioridade numa época de dramáticas mudanças e grande instabilidade, alerta a Adecco.

Então, importa saber, diz a especialista, como é que o segmento adolescente desta geração está a lidar com as consequências do COVID-19? A especialista avança com algumas conclusões, tendo como base o inquérito da Cassandra, que pretendeu descobrir a perspetiva desta geração sobre a universidade,  a carreira e a vida  num  mundo pós-pandemia.

Planos universitários

Ir ou não ir para a universidade – essa é a questão. Com 45% a acreditar que precisam de uma licenciatura para ter sucesso na vida, não é de estranhar que a maioria (60%) não está à espera de alterar os seus planos de estudos superiores como resultado da pandemia.  Por outro lado, 24% dizem que os seus planos para a universidade já mudaram ou são suscetíveis de o fazer.

Planos de carreira profissional

75% por cento dos inquiridos acredita que surgirão novas carreiras profissionais pela emergência da pandemia.  E 66% acreditam que a sua geração terá mais probabilidades de trabalhar como freelancer do que as gerações anteriores.

Embora reconheçam o impacto do vírus nas suas perspetivas de educação e carreira, a maioria dos Gen-Z acredita que pode superar estes desafios e viver a vida que tem planeado – 45% dizem que os seus planos de carreira não foram impactados pela pandemia, enquanto 35% dizem que o seu plano de carreira mudou ou provavelmente mudará devido ao coronavírus.  Mas o otimismo é temperado com um olhar realista sobre a economia e 34% desta geração acredita que ganharão menos dinheiro na sua vida, como resultado do COVID-19.

Planos de vida

Ao contrário dos Millennials, mais otimistas, a Geração Z é em grande parte realista. Mas isso não impede    esta geração de ter uma perspetiva de vida de copo meio-cheio depois do COVID-19. Apenas 27% dos inquiridos afirmaram que isso os fez baixar as suas expectativas de sucesso na vida — deixando a uma boa fatia de 73% do lado dos que sentem que a pandemia não afetará negativamente o seu sucesso e felicidade finais.

Apesar dos desafios significativos que a COVID-19 criou para a economia e a mão de obra, a Gen-Z está a aproximar-se do seu futuro com uma atitude positiva.  São jovens, resistentes e determinados a melhorar as coisas e são o que o nosso mundo precisa.

Artigo anteriorPróximo artigo
Avatar
é admirador de Steve Jobs e Elon Musk. Apaixonado por novas tecnologias, especialmente ligadas à secção de negócios empresariais e de Gadgets, acompanha de perto todas as novidade do mundo das TI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.