Memes ameaçam eleições americanas. Perigo está sempre à espreita

CounterPoint memes

Em poucos anos, os “memes” tornaram-se um fenómeno amplamente conhecido por qualquer utilizador de redes sociais, como o Facebook, Twitter ou Instagram.

Publicidade
Loading...

Enquanto unidades de cultura facilmente partilháveis e de tom humorístico, os memes detêm um poder de propaganda que não deve ser ignorado.

Investigadores da Check Point® Software Technologies Ltd. tendo por base o contexto atual das eleições presidenciais norte-americanas, alertam para o impacto que estas imagens aparentemente simples podem ter enquanto forma de disseminação de informação falsa, deixando algumas dicas de proteção.

“Guerra de Memes” é cada vez mais uma ameaça que não deve ser ignorada

A designação “Guerra de Memes” ou “Meme Warfare” refere-se à prática segundo a qual memes são utilizados enquanto arma de disseminação de informação falsa.

O principal objetivo desta prática é influenciar ou moldar a opinião pública de forma maliciosa em direção a um determinado propósito específico, como, por exemplo, a eleição de um determinado candidato.

Memes eleições americanas perigo
Memes ameaçam eleições americanas. Perigo está sempre à espreita 6

Com as eleições presidenciais norte-americanas a aproximarem-se, os investigadores da Check Point delinearam dois potenciais cenários nos quais a partilha massiva de memes pode desempenhar um papel fundamental:

  1. Incerteza de resultados. Um cenário no qual são disseminados memes que indicam que um candidato tem a vitória garantida, não sendo esta a realidade. Pode contribuir para que os eleitores deixem de votar, pensando que o resultado já está determinado.
  2. Alegações de interferências externas. Memes que disseminam informação falsa relativa à interferência da Rússia ou Irão nos resultados eleitorais.

“Memes são a forma moderna de propaganda. Assistimos habitualmente a websites a serem desfigurados com memes. Agentes maliciosos adoram memes pelo seu coeficiente viral: rápidos, replicáveis e contagiosos,” afirma Oded Vanunu, Head of Products Vulnerability na Check Point.

Relativamente às eleições americanas, o responsável deixa uma recomendação específica, “Até agora, a guerra de memes tem moldado a forma como vemos os dois candidatos. No dia das eleições, esta prática tem o potencial de fazer descarrilar o resultado. Por exemplo, os eleitores são manipulados para pensar que um certo candidato ganhou, quando, de facto, não ganhou, ou pode haver alegações falsas sobre interferências externas, que levantarão dúvidas sobre a integridade do processo eleitoral. Eu recomendo a todos os votantes que se mantenham atentos.”

Eleições dos Estados Unidos podem ter sido influenciadas por diversos ataques de hackers

Outros fatores podem influenciar as eleições norte-americanas. Na semana passada, a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos da América (NSA) publicou a lista das 25 vulnerabilidades mais exploradas por cibercriminosos em 2020.

Se não se atualizarem as patches, cada uma das vulnerabilidades descritas pelo relatório pode comprometer as eleições norte-americanas, já que estão presentes em tecnologias do dia a dia dos utilizadores, incluindo fornecedores como a Microsoft e a Oracle. Uma análise dos investigadores da Check Point concluiu que as 25 maiores vulnerabilidades de 2020 foram sete vezes mais exploradas nos últimos 6 meses do que as restantes.

A acrescentar, constatou-se que a lista do top de vulnerabilidades esteve na origem de 3 milhões de ataques em 2020, dos quais 2,5 milhões ocorreram nos últimos seis meses.

4 dicas para evitar ser manipulado pelas perigosas “Fake News”

A Check Point alerta para esta realidade, deixando algumas dicas de proteção que visam evitar que os utilizadores sejam manipulados por informação falsa:

  1. Consciencialize as pessoas à sua volta. Aborde estes temas com os seus familiares e amigos no sentido de os despertar para a disseminação mal-intencionada de memes.
  2. Fique atento a bots. Por norma, agentes maliciosos criam contas falsas em diversas redes sociais, que usam para propagar desinformação.
  3. Verifique informação. Sempre que se cruzar com um meme sobre algum tema sensível, verifique a veracidade da informação transmitida junto de fontes noticiosas fiáveis.
  4. Implemente patches. Assegure-se que as mais recentes patches para cada uma das vulnerabilidades referidas na lista da NSA. 

Outros artigos interessantes:

Artigo anteriorPróximo artigo
Avatar
Nilton é um entusiasta das novas tendências tecnológicas e do impacto que estas têm nas organizações e no nosso dia a dia.